Portugal

III Jornadas Templárias para o Conhecimento Ecuménico em Lagos

Posted on

Decorreram em Lagos no dia 29 de Fevereiro as III Jornadas Templárias, que se vão já impondo como um momento alto no calendário de inciativas da OSMTHU em Portugal.

Organizadas pela Comenda de Laccobriga do Grão Priorado de Portugal, com o apoio da Câmara Municipal de Lagos e da Associação Grupo Coral da mesma cidade, as Jornadas visam ampliar o conhecimento e a cultura dos membros da Ordem e do público em geral, versando temas centrais à compreensão da Ordem do Templo, da Ordem de Cristo e da sua continuada relevância nos dias de hoje.

Desta feita, o desafio lançado aos oradores foi a reflexão sobre “Quinto Império… e a Saudade do Futuro”. Respondeu um conjunto de interessantes palestrantes, muitos já repetentes, recebidos por um número crescente de espectadores, sempre atentos e participativos.

O dia abriu com uma exposição de livros relativos ao tema, muitos da autoria de alguns dos oradores, o que proporcionou agradáveis momentos de diálogo entre autores e leitores, entre autógrafos e perguntas interessadas. De seguida o Grupo Coral de Lagos abrilhantou o evento com algumas peças de canto coral de uma encantadora beleza.

De seguida a Vereadora da Cultura da Câmara de Lagos, Drª Sara Coelho, procedeu à abertura das Jornadas com palavras que bem ilustram o apoio das entidades oficiais a todas as iniciativa culturais de relevo no Concelho, referindo o interesse do Município numa continuidade da já sólida colaboração com a Ordem.

O primeiro orador foi o Preceptor Geral do Grão Priorado de Portugal, responsável pelo programa de estudos e coordenação das acções de formação interna nos diversos graus. Tomando o tema de frente, fez uma recolha metódica das diversas fontes do mito do Quinto Império, desde as sucessões das Idades nos textos sagrados orientais, passando pelo Antigo Testamento, não esquecendo Joaquim de Fiora, Vieira, Pessoa e Agostinho da Silva. O seu texto pode ser consultado aqui.

Impossibilitado de estar presente, o empresário e antigo modelo Tó Romano, disponibilizou alguma literatura e um vídeo relativo ao seu projecto EVADREAM. Nascido em Lisboa e formado em Arquitectura em Belas Artes no início dos anos 80, Tó Romano ganhou reconhecimento pelo trajecto que fez na moda e que o levou a ser um dos primeiros modelos portugueses a trabalhar internacionalmente. Em 1989 fundou com a sua mulher Mi Romano a agência de modelos Central Models, que ainda hoje ambos dirigem e cujos modelos têm cada vez mais sucesso a nível mundial.

O vídeo, de 2015, mostra uma preocupação e uma ideia que antecipa esse Portugal do Quinto Império. Desde essa apresentação, o número de cidades que aderiram à proclamação “Vamos Florir Portugal” tem aumentado e é já um caso sério digno de case study.

Após um curto intervalo foi a vez da intervenção de Virgílio Alves, representante da recém-criada Associação Mar e Saudade, cujo trabalho notável se consubstancia, entre outras vertentes, no já inaugurado Museu Hermético Português, cito em terras de Almourol, em Vila Nova da Barquinha e único no seu género. Os propósitos da Mar e Saudade foram expostos e fez-se uma visita guiada pelo website, explorando-se alguns dos recursos já disponíveis. Na impossibilidade absoluta de estar presente, o seu fundador Manuel J. Gandra, que tem apoiado e participado nas Jornadas Templárias de Lagos desde a primeira edição, enviou o vídeo “Do Ser, do Estar e da Saudade”, que disponibilizamos de seguida.

A sessão da manhã encerrou com a intervenção do Prof. Fernando Casqueira que, na sua qualidade de Grande Preceptor da Grande Loja Soberana de Portugal, abordou, entre outros, o tema da perda do Império e da influência internacional como percursor da vertente de desencanto e desesperança da Saudade, traçando um périplo de uma rara erudição por todo o século XIX e XX, até desembocar na rememoração dos mitos por António Quadros, Dalila Pereira da Costa, Lima de Freitas e Agostinho da Silva. Terminou ainda abordando ao de leve os mitemas mais marcantes das questões ligadas ao Quinto Império, concordando com os oradores da manhã e antecipando uma tarde animada.

Após pausa para o almoço, a sessão da tarde foi aberta pelo conhecido autor e Professor Eduardo Amarante, fundador das Edições Apeiron, em cuja extensa obra a temática do Quinto Império e dos Templários tem tido lugar de destaque. Na sua comunicação discorreu acerca das origens da religião do Quinto Império, das dinastias de Borgonha e Avis e suas ligações, do Preste João bem como toda a problemática da Saudade. A sua comunicação pode ser lida aqui.

Seguiu-se a intervenção de Luis Natal Marques, Grande Conselheiro da Ordem Rosacruz AMORC em Portugal, que escolheu um tema pouco tratado, mas de grande interesse: “O Riso e as Religiões”. De facto, sendo uma das manifestações do Paráclito o brotar de uma incontrolável alegria, que se expande em riso e gozo, frequentemente designado por deleite, o papel do riso e da alegria é muitas vezes subalternizado nas religiões do Ocidente. Com muito humor e numa cativante apresentação, o orador soube prender o público e proporcionou a mais original e inesperada intervenção da tarde, que mereceu justos rasgados elogios pelos presentes.

Seguiu-se a apresentação do Rito Português por João Pestana Dias, Grão Mestre da Grande Loja Soberana de Portugal. Inserido no contexto do movimento da Nova Maçonaria Portuguesa assumido pela Soberana no último par de anos, o Rito Português teve a sua origem na Grande Loja Legal de Portugal/GLRP em 2015 tendo florescido desde então em outras Obediências, mantendo sempre a continuidade iniciática e proveniência maçónica, dando destaque à portugalidade e à exploração simbólica das fontes literárias e artísticas que se fundam no ideal do Quinto Império.

Explicando que o Rito Português é o Rito oficial da Grande Loja Soberana, João Pestana Dias foi expondo alguma da história e da especificidade litúrgica, desenvolvida tendo como matriz o Rito Escocês Antigo e Aceite. Foi de marcado interesse a memória descritiva dos símbolos adoptados (a cruz decorrente do estudo do quadrado e do octógono, com os seus cabos marítimos e inspiração nos traçados da Ordem de Cristo, os diversos paramentos de cada grau, os paramentos de Venerável Mestre e Grande Oficial, etc.).

Encerrou os trabalhos do dia Mons. Luis Fonseca, Tau Christophorus de Lusignan, Capelão do Conselho Magistral da OSMTHU e Bispo da Old Templar Church, que abordou o tema do “Quinto Império… e Saudade do Futuro” numa perspectiva muito directa e pedagógica, sempre com a preocupação de se fazer escutar como uma voz da Ordem e de falar em nome desta, devidamente credenciado para tal.

Por esse facto, evitou cuidadosamente discorrer sobre os assuntos abordados até esse ponto, procurando em alternativa entrar no mais profundo do tema pela intermédio da meditação activa e da contemplação. Assim, seleccionou algumas peças musicais que pudessem ilustrar por via dos sentidos o que as palavras não alcançam, elevando de forma palpável o entendimento da plateia, tocando uma corda especial no coração de todos. Segui-se quase uma hora de intervenções espontâneas dos presentes que, com muita elevação e gosto, prolongaram ainda mais a profunda impressão deixada pelo orador.

Apesar do memento ser irrepetível, deixamos aqui o texto de base que foi lido, o qual contém os links para os vídeos apresentados.

As III Jornadas deviam ser encerradas com uma apresentação pelo Grão Prior Geral do Grão Priorado de Portugal, Luis de Matos. Contudo, este, dirigindo-se à assembleia explicou que tinha ocorrido o mesmo que já se passara em outras ocasiões em relação ao Luis Fonseca. Sem se terem falado na preparação dos seus trabalhos, estes acabaram por ser tão irmãos nas referências e conteúdos que – disse o Grão Prior – na sua apresentação havia um vídeo com um fado cujo autor era o mesmo da apresentação de Luis Fonseca – o poeta e guitarra clássica Jorge Fernando – exactamente com o mesmo lineup musical: Filipe Larsen no baixo acústico e Custódio Castelo na Guitarra Portuguesa… A única diferença era a voz, em que despontava Jorge Fernando e numa outra peça, Mariza. Dada a coincidência inesperada e o efeito obtido pela apresentação de Luis Fonseca, o Grão Prior rematou dizendo: “Uso da minha prerrogativa de me remeter ao silêncio; convido-vos todos a regressar a casa também em silêncio e ainda com os ecos do que aqui ouviram no coração.”

Em resumo, está de parabéns a Comenda de Laccobriga do Grão Priorado de Portugal da OSMTHU bem com o seu Comendador Victor Varela Martins e todos os membros e família que o ajudaram a levar a cabo este duro trabalho, apreciado por todos. Torna-se já uma tradição nesta época do ano rumar a sul e desfrutar da amizade fraternal entre Cavaleiros e Damas, mas também entre um número cada vez maior de convidados, amigos e público. Mais uma vez se trabalhou de forma ecuménica, intergrupal, mostrando que a colaboração com outras Ordens, movimentos culturais e tradicionais, pesquisadores e autores, é possível e profundamente transformador.

Em 2021 as IV Jornadas serão uma realidade.

Atentos aos tempos.

The delights of the Duero River Valley

Posted on Updated on

There is a part of Spain, within a day’s drive of the Algarve, that you may have never heard of, let alone visited. If I’m right, you have been missing something interesting.

I’m talking about the Duero River valley. If you have driven north through Spain, heading for France or Britain, you have almost certainly driven from Salamanca through Valladolid and on to Burgos and Santander or Bilbao or France. You have driven right across the Duero River just south of Valladolid in the small town of Tordesillas.

The Duero River rises near Soria and runs from east to west through the provinces of Valladolid and Zamora before it forms the Spanish-Portuguese border for a while. When it enters Portugal, it changes its name to become the Douro and splashes on west to Porto and the Atlantic.

We all know the wonderful Douro wines – but you may not be aware of the fact that, in Spain, this river nourishes some very excellent Spanish wines, too.

There are a number of DOs (Denominación de Origen) that depend on the special climactic effects created by the Duero. The best known are the Ribera del Duero (home of Vega Sicilia, which is arguably Spain’s greatest wine) to the east of Valladolid and Rueda to the south of Tordesillas, but excellent, though lesser known, wines are also produced in the DOs of Cigales, north of Valladolid, and in Toro, Zamora and Los Arribes, all in the province of Zamora.

The red wines of Valladolid province are primarily made with the Tempranillo varietal and the whites with Verdejo or, increasingly, Sauvignon Blanc. In Zamora province, Tempranillo (here often called Tinta de Toro or Tinta del Pais) is equally as important but Garnacha and Juan Garcia are gaining in usage. Almost all the wines produced in both provinces are single varietals rather than blends and it is only in the Rueda DO that white wines are produced in quantity.

The Toro wines were so prestigious that King Alfonso IX of Léon conceded privileges for their production in the 12th century and Columbus took Toro wine on his 1492 expedition, because it could survive long journeys due to its structure and body.

A group of us recently wanted to experience the various Duero wines in situ, so we used the harvest festival in Toro (Fiesta de la Vendimia) in mid-October as our excuse to spend a week tasting wines, eating some wonderful Castillian tapas and looking at the scenery and architectural wonders of the area.

Our base was the Hotel Juan II in Toro, overlooking the Duero and right next to the magnificent collegiate church of Santa Maria la Mayor, a really beautiful combination of Romanesque and Gothic architecture that was begun in 1160.

Not far away was the impressive Monasterio de Sancti Spiritus, founded in 1307 and home to a lovely collection of religious art and a beautiful Romanesque cloisters. More interesting, from our point of view, was the beautiful alabaster sarcophagus of Beatriz of Portugal, only child of King Ferdinand I and, in 1383, wife and Queen Consort of King Juan I of Castille.

Our tour took us to the Los Arribes DO, a long, narrow strip of rocky slopes along the eastern banks of the Duero on the Portuguese border (the name “Arribes” derives from the Latin ad ripam, which means “on the banks of”). The terroir is so hardscrabble and dry it is amazing that any wine at all can be grown, but, in fact, we tasted some quite drinkable ones. We also had the opportunity to take a cruise in the international waters of the ”Grand Canyon” of the Arribes del Duero. It was quite spectacular.

On our way back to Toro we stopped in Zamora for a walk around the old town, a look at the cathedral built in the mid-12th century, with its graceful cupola covered with scallop tiling, and an excellent dinner in one of the province’s finest restaurants, El Rincón de Antonio, the tasting menu of which was, of course, complemented by very tasty Rueda white and Toro red wines.

The Toro Fiesta runs over four days, and, during it, the town’s population swells from just under 10,000 to about 30,000, with the influx being almost entirely Spanish tourists.

The townsfolk are dressed in medieval costume and the celebrations are capped by the Gran Torneo de Justas Medieval on Saturday afternoon in the very rustic bullring. This is an hour long pièce de theatre, by four knights-errant and their pages, of (simulated) jousting, sword play and various pranks, all played for laughs to the vast amusement of the crowd. Of course, the knight representing Castille “won”, at the expense of the insipid (and probably drunk) knight representing Portugal and the mean and ugly black knight. Cheers all around.

On a political note, our visit was just after the “referendum” vote in Catalonia, and we were struck by the vibrant nationalist spirit in evidence all around us. There were many Spanish flags displayed prominently – a practice that, until now, had been rather frowned upon as being slightly fascist. It was clear that, while the illegal vote may have been divisive vis-à-vis Catalonia, it had certainly brought the rest of Spain closer together as a nation.

Our drive back home on the Sunday (with a boot full of good Spanish wine) was about 750km, all autoroute, and covered in about six hours – leaving time for a good tapas lunch on the way. Viva España!

By Larry Hampton

The mean and ugly black knight having a sword fight with the good knight (in red) representing Castille during the Gran Torneo Medieval in Toro’s bull ring

The Toro Clock Tower (Torre del Reloj), seen looking down on some of the revellers during Toro’s harvest festival

A view of the lovely cloisters in the Monasterio de Sancti Spiritus in Toro

The alabaster sarcophagus of Beatriz of Portugal in the Monasterio de Sancti Spiritus

The mid-12th century Zamora Cathedral

Ancient wine barrels in the vast cellars of the Menade winery deep underground in La Seca in Rueda

A view of the Duero River, with Portugal on the left and Spain on the right

The beautiful 12th Century Collegiate church of Santa Maria la Mayor in Toro

A typical display of the Spanish flag in the Plaza Mayor of Zafra

I International Conference of the Temple, Spiritual Chivalry and Templarism in Almourol available in video (full lenght, all conferences and visits, 9h30m)

Posted on

The Municipality of Vila Nova da Barquinha just released the full 9h30m of video that documents the full I International Conference of the Temple, Spiritual Chivalry and Templarism that took place  in Almourol, Portugal in October, where the milestone Protocol of Almourol was signed.

The I Conference was the first International Event organized by the CITA (here and here), an Interpretation Center for the Order of the Temple and the Order of Christ that complements the world famous Templar Castle of Almourol.

During the Event the OSMTHU and the OSMTJ, represented respectively by Master Antonio Paris and Regent Nicholas Haimovici-Hastier,  signed a Protocol with the Municipality, declaring the CITA and Almourol as an International Place of Templar Cultural Interest. Both branches of the Order also committed to the development of the library and archive available at the CITA and the organization of three yearly Conferences where members of the Order, the academic community, researchers and the general public can come together and celebrate the Templar heritage (here).

Short clip of how the collaboration came to be:

PROGRAM OF THE I CONFERENCE

The released videos extensively document the Guided Tours and the Conferences that took place along three days in October 2019. A large part of the content is in English. The footage will be edited shortly in order to make the conferences more accessible and subtitle in English those that are only available in Portuguese.

The present uncut release is, however, very useful for all those who were not able to attend and want to have access to all the discussions and groundbreaking research presented. Reviewing the videos will also provide almple reason not to miss the II International Conference to be held in Almourol in October 2020. (more info: osmthu@mail.com)

THE VIDEOS (Parts 1, 2 and 3)

VN Barquinha celebrates protocol with Templar order that will make CITA the “world’s most important repository on the Order of the Temple”

Posted on Updated on

The Vila Nova da Barquinha Municipality has entered into a protocol with two branches of the Templar Order – the Ordo Supremus Militaris Templi Hierosolimitani Universalis (OSMTHU) and the Ordre Sovereign et Militaiire du Temple de Jerusalem (OSMTJ) – to declare the municipality and the Interpretation Center Almourol Templar (CITA) as an International Place of Templar Cultural Interest.

The proposal for the protocol came to the Municipal Chamber meeting on October 9 and deserved a positive opinion from the executive.

Councilor Marina Honório explains that the initiative results from the association of OSMTHU and OSMTJ who also wants Vila Nova da Barquinha to host “an annual event of the International Congress type and the recommendation that bibliographic collections and objects could be sent to the Center and enrich the CITA as an unavoidable international reference on the Order of the Temple and its cultural influences across the ages.”

As a starting point for this collaboration, Fernando Freire explained that both branches of the Order have already approved several initiatives aimed at encouraging collectors, archives and library owners to make donations and to make CITA by 2021 the “most important, complete and extensive”. repository and bibliographic collection on the Order of the Temple ”.

On the OSMTHU side, one of the initiatives is the negotiation of the passage of the Temple Archive, consisting of multiple original documentation concerning the International Chancellery and the International Federative Alliance Secretariat since 1988, as well as various objects and archives, on loan to the locality of Soria, Spain since 2007, for CITA in Vila Nova da Barquinha.

Another initiative to be taken by OSMTHU is to designate CITA as the “custodial institution to be handed over the update of the Order’s Archives, composed of the official documentation produced by the International Chancellery annually” as well as the “addition of historical documentary collections. bibliographic and objects of archaeological, academic or museological interest that can be donated ”.

The OSMTHU will also offer a forged replica, according to traditional rules, of the sword of the crusader Godofredo Bulhões, symbol of the historical context that gave rise to the Order of the Temple.

The OSMTJ will contribute with the deposit of a thematic bibliographic collection as well as an extensive documentary archive about the activity of the Order in the last half of the twentieth century.

In addition to the initiatives in terms of Archive and Library, the protocol also provides for cultural exchanges, through the loan and exhibition of specific pieces.

Finally, this collaboration also aims to hold an International Conference. An “annual international event taking place in 2020, 2021 and 2022”, as explained by the mayor of VN Barquinha, Fernando Freire.

The venue for the annual event will be CITA, whose organization, programming and promotion will be the responsibility of the two orders involved in the protocol.

It is recalled that the Templar Interpretation Center of Almourol was opened to the public in November 2018 and is a pioneer center for the Order of the Temple in Portugal, endowed with a relevant set of features including an exhibition space, auditorium and thematic library.

By Ana Rita Cristóvão, antenalivre.pt

VN Barquinha celebra protocolo com ordens templárias que vai tornar CITA no “mais importante repositório mundial sobre a Ordem do Templo”

Posted on Updated on

O Município de Vila Nova da Barquinha celebrou um protocolo com duas ordens templárias – a Ordo Supremus Militaris Templi Hierosolimitani Universalis (OSMTHU) e a Ordre Sovereign et Militaiire du Temple de Jerusalem (OSMTJ) – a fim de declarar o município e o Centro de Interpretação Templário de Almourol (CITA) como Lugar Internacional de Interesse Cultural Templário.

A proposta de celebração de protocolo veio a reunião de Câmara no dia 9 de outubro e mereceu parecer positivo do executivo.

A vereadora Marina Honório explica que a iniciativa resulta da associação da OSMTHU e da OSMTJ e pretende também que Vila Nova da Barquinha seja sede de “um evento anual do tipo Congresso Internacional e recomendação de destino de acervos bibliográficos e objetos que possam enriquecer o CITA como referência internacional incontornável sobre a Ordem do Templo e suas influências culturais em todas as épocas”.

Como sinal de arranque desta colaboração, Fernando Freire explicou que ambos os ramos da Ordem aprovaram já diversas iniciativas que têm como objetivo encorajar colecionadores, arquivos e donos de bibliotecas a fazer doações e a tornar o CITA até 2021 no “mais importante, completo e extensivo repositório e acervo bibliográfico mundial sobre a Ordem do Templo”.

Da parte da OSMTHU, uma das iniciativas passa pela negociação da passagem do Arquivo do Templo, constituída por múltipla documentação original relativa à Chancelaria Internacional e ao Secretariado da Aliança Federativa Internacional desde 1988, bem como objetos e arquivo diverso, sob empréstimo à localidade de Sória, Espanha desde 2007, para o CITA em Vila Nova da Barquinha.

Outra das iniciativas a ser tomada pela OSMTHU é designar o CITA como a “instituição à guarda do qual será entregue a atualização do Arquivo da Ordem, composto pela documentação oficial produzida pela Chancelaria Internacional anualmente” bem como da “adição de peças documentais históricas, acervos bibliográficos e objetos de interesse arqueológico, académico ou museológicos que a esta possam ser doados”.

A OSMTHU vai também [convidar a Grão Priorado de Toledo da OSMTH a] oferecer uma réplica forjada, segundo as regras tradicionais, da espada do cruzado Godofredo Bulhões, símbolo do contexto histórico que proporcionou o surgimento da Ordem do Templo.

Já a OSMTJ contribuirá com o depósito de uma coleção bibliográfica temática de relevo bem como um extenso arquivo documental sobre a atividade da Ordem na última metade do século XX.

Para além das iniciativas em termos de Arquivo e Biblioteca, o protocolo prevê também trocas culturais, através do empréstimo e exposição de peças específicas.

Por fim, esta colaboração pretende também a realização de uma Conferência Internacional. Um “evento anual de âmbito internacional a decorrer em 2020, 2021 e 2022”, conforme explicou o presidente da Câmara de VN Barquinha, Fernando Freire.

O local escolhido para o evento anual será o CITA, cuja organização, programação e promoção será responsabilidade das duas ordens envolvidas no protocolo.

Recorde-se que o Centro de Interpretação Templário de Almourol foi aberto ao público em novembro de 2018 e é um centro pioneiro no que respeita à Ordem do Templo em Portugal, dotado de um conjunto relevante de recursos que incluem um espaço para exposições, auditório e biblioteca temática.

Por Ana Rita Cristóvão, antenalivre.pt

Congratulations to the new Cardinals

Posted on

From Master Antonio Paris, OSMTHU comments on a full day of engagements:

“Concistoro per la Creazione di Nuovi Cardinali. Basilica Papale di San Pietro. Con il Cardinale Pietro Parolin Segretario di Stato Vaticano.”

Congratulations also to Mons. Tolentino de Mendonça, new Portuguese Cardinal, currently heading the Vatican Library and the Vatican Secret Archive.

 

World experts in “Templarism” in Vila Nova da Barquinha

Posted on

“Order of the Temple – Spiritual Chivalry and Templarism” is the theme of the event that will bring together, between October 11 and 13, 2019, in the Almourol Templar Interpretation Center, Vila Nova da Barquinha, Portugal, the world’s leading experts on this subject, with speakers from France, Italy, [Germany, Austria] the United States and Portugal.

Antonio Paris (OSMTHU Master, Italy), Barbara Frale (of the Vatican Archives), Nicolas Haimovici (OSMTJ Regent, France), John von Blauch (United States), Luís de Matos, Manuel J. Gandra, Ernesto Jana and Nuno Villamariz Oliveira (Portugal) are some of the confirmed speakers.

During the event a new temporary exhibition will be inaugurated in the Templar Interpretation Center of Almourol – “Santoral and Templar liturgy”. The catalog of the exhibition will be made available on opening day. The event will also be remarked by the signing of Protocols of Cooperation and Partnership with CITA and the reception of the replica of the sword of Godofredo de Bouillon.

The program includes visits to Almourol Castle (Vila Nova da Barquinha) and the Convent of Christ (Tomar), as well as musical moments.

Registrations cost 15 € (with catalog offer), are mandatory and limited. The contact for more information and registration is +351 249720358.