Events

Groundbreaking Agreement Brings OSMTJ and OSMTHU Templars to the Table

Posted on

Regent Fr+ Nicolas Haimovici-Hastier (third from right) with his Magisterial Council in Zagreb, Croatia 2019

A groundbreaking agreement was signed between the OSMTJ and the OSMTHU, two of the leading branches of the Templar Order whose most modern institution dates back from over 200 years ago.

In a notably fragmented movement, with many small groups of undetermined origin and frequent divisions in the main branches, the firm determination of the OSMTHU to counter current trends and work on a convergence of goals expressed by the Declaration of Arraiolos (Portugal, 2018) was met by the long standing work for Templar Unity of the OSMTJ, under Regent Nicolas Haimovici-Hastier. Upon the Regent’s proposal to select a city or Templar relevant place that could work as a neutral ground of Cultural Exchange, where all groups, researchers, students and general public interested in the Templar Order could meet, discuss, learn and create bonds of friendship, the Grand Priory of Portugal of the OSMTHU committed to make all efforts to elect Vila Nova da Barquinha – of the Castle of Almourol fame and location of the Templar Interpretation Center (CIT) – the official seat of the Cultural Exchange Association between both branches.

To that end the early preparation steps have been taken to have a 3 year run of an International Congress to start in 2019 in Fall, in a date to be announced shortly.

So, leave your calendars opened to travel to Portugal this Fall, to Vila Nova da Barquinha (Almourol) – a short distance from Lisbon’s main airport and a shorter distance from Tomar – to be part of history when both groups celebrate fraternal friendship under the protection of the Templar Order.

Copy of the Agreement:

Pentecost Benedictio Militis, Arraiolos 2019

Posted on

The beautiful round castle of Arraiolos, Portugal, once held by the Order of Christ, was the centerpiece of the traditional Pentecost celebrations of the Grand Priory of Portugal of the OSMTHU.

Just like the Templar Beauceant, the flag with a white field and black field, the traditional adoubement ceremony takes place in the light and in the dark. It starts during the day but soon it goes into the depthness of night, from an opened enlightened world into a closed tight womb of meditation where the future knight in silent vigil hopes for the deliverance of light. In hope and faith, the knight is delivered.

Study and Instruction time

Time to savor the fruits of fraternal friendship

Preparing for sunset – the light subsides to darkness

In darkness we work in hope of light

Great blessings come to those who wait

“Veni, Créator Spíritus,

Mentes tuórum visita,

Imple suprema grátia,

Que tu creásti, péctora.

Qui díceris Paráclitus,

Donum Dei altíssimi,

Fons vivus, ignis, cáritas

Et spiritális únctio.

Tu septifórmis múnere,

Dextrae Dei tu digitus,

Tu rite promissum Patris

Sermóne ditans gúttura.

Accénde lumen sénsibus

Infúnde amórem córdibus,

Infírma nostri córporis,

Virtúte firmans pérpeti.

Hostem repéllas lóngius

Pacémque dones prótinus;

Ductóre sic te praévio

Vitémus omne nóxium.

Per te sciámus da Patrem

Noscámus atque Filium,

Te utriúsque Spíritum

Credámus omni témpore. Amen.”

VN Barquinha | Império do Espírito Santo está presente em 12 dos 13 concelhos da região

Posted on

Manuel J. Gandra, o curador da exposição “O Império do Divino Espírito Santo no Médio Tejo”, fez algumas revelações inéditas sobre as suas investigações acerca do tema, durante a inauguração no Centro de Interpretação Templário Almourol (CITA), de Vila Nova da Barquinha, no dia 9 de junho.

O investigador revelou que 12 dos 13 concelhos da região do Médio Tejo “estão repletos de memórias do Império do Espírito Santo”. Excluiu apenas o Entroncamento por ser um concelho recente.

Para Manuel Gandra, a exposição sobre o Espírito Santo agora inaugurada “aparentemente é alheia à temática Templária”, mas “na realidade o tema Templário e a exposição são duas faces da mesma moeda”.

Na conferência de apresentação do catálogo que antecedeu a inauguração da exposição, o investigador sublinhou que “os Templários tinham objetivos materiais mas também espirituais que passavam pela criação de uma humanidade fraterna”.

“Este território, que era sobretudo Templário, tinha já essa componente espiritual presente mas tornou-se mais evidente quando entrou na história a Ordem de Cristo e adotou para si o Império do Espírito Santo”, explicou Manuel Gandra.

Já na exposição, que ocupa um dos corredores do CITA, os visitantes puderam apreciar medalhas, imagens, cartazes, livros antigos, entre uma série de objetos e documentos relacionados com o tema. Da região há referências a festas do Divino Espírito Santo em Sardoal, Alcanena e Meia Via, mas o destaque vai para a Festa dos Tabuleiros de Tomar.

Três das vitrinas estão preenchidas com objetos relativos ao culto do Divino Espírito Santo nos Açores, no Brasil e na América do Norte.

Manuel Gandra dispõe de muito mais peças sobre o tema mas dada a limitação de espaço teve de ser feita uma seleção criteriosa. No ar ficou a perspetiva de uma outra exposição.

Depois de agradecer a “colaboração inexcedível” de Manuel Gandra na exposição, o presidente da Câmara de Vila Nova da Barquinha falou do “projeto arrojado” do CITA numa lógica de identidade do território transversal a todo o Médio Tejo.

Fernando Freire recordou que existem no concelho dois castelos templários: Almourol e Zêzere, sendo que deste último há apenas alguns vestígios.

“Já está feito o levantamento de uma muralha medieval que se encontra a nascente”, e “gostaríamos de, no próximo ano, fazer escavações arqueológicas no local”, anunciou o autarca.

Referiu-se ainda à existência de um cais Templário junto ao rio Zêzere, levando o edil a acreditar que foi ali “que se iniciaram os descobrimentos portugueses”.

Também para Manuel Gandra “a expansão marítima portuguesa começou a partir do Zêzere e de Almourol, portanto, do que é hoje Vila Nova da Barquinha”. Foi o Comendador de Almourol Frei Gonçalo Velho quem descobriu as Ilhas de Santa Maria e de S. Miguel (Açores) que inicialmente se chamavam Almourol e Cardiga, segundo o investigador.

E terá sido desta região do Médio Tejo e nessa altura que o culto ao Divino Espírito Santo chegou aos Açores e depois às Américas.

A exposição “O Império do Divino Espírito Santo no Médio Tejo” vai estar patente até ao final do ano podendo ser visitada de segunda a sexta-feira das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00.

in mediotejo.net por José Gaio


Por Rádio Hertz


IMPÉRIO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO – VILA NOVA DA BARQUINHA 2019

Zagreb taken over by the Templars

Posted on Updated on

Anyone taking a stroll down Zagreb’s main plaza last Saturday afternoon, could think the city was being invaded by Templars. Indeed a large number of knights and dames in full uniform, white mantles flying in the wind like peace flags, paraded on their way to the Cathedral where the Rector was expecting the group.

This was not an ordinary event. The Grand Priory of Croatia, headed by Prior Vinko Lizec, had a very busy day planned. After a long evening on Friday where the Magisterial Council of the Order, presided by Master Antonio Paris from Italy and headed by Chancellor Luis de Matos from Portugal, discussed current Templar cooperation efforts and the new projects being launched in 2019, every delegation was pleased to gather at the lobby of the Dubrovnik Hotel on Saturday morning.

The scholar explains some of the events of Croatia Templar history to Dame Patricia (Spain) and Prior Leif Pedersen (Denmark)

Prior Leslie Payne (England) and Dame Susana Ferreira (Portugal)

The first point of call was the headquarters of the Croatian Priory, where an exhibition on the Templar history of the country was guided by historians of the National History Academy. There were maps signaling, for the first time, the many Templar possessions in Slavonia (ancient name of the Province), alongside photographic reproductions of many of the original documents, some presented to the public for the first time. The scientific quality of the work undertaken is unquestionable. The Order is proud of this work.

Some of the manuscripts and documents reproduced in the exhibition

The delegations were then taken to the Church of Saint John the Baptist an 18th century building that stands on the site of the last templar church in Zagreb. The Master lead the ceremony in which he installed Fr+ José Miguel Salazar as Prior of Spain and Fr+ Angelo Nappo as Grand Prior of Italy, confirming Fr+ Vinko Lisec as Grand Prior of Croatia of the OSMTHU. The beautiful pipe organ was masterfully played by an invited musician and a choir sang an inspiring arrangement of the “Non Nobis” hymn by Simon Rattle that left everyone in the church in a state of elevated admiration.

A comprehensive and delicious meal preempted the Conference in the afternoon. The invited delegations presented their salutations. Hosted by the Grand Priory of Croatia and the Magisterial Council of the OSMTHU, present were the Grand Priory of Portugal, the Grand Priory of Spain, the Grand Priory of Italy, the Grand Priory of Slovakia of the OSMTH – Regency, the Grand Priory of England and Wales, the Grand Priory of Denmark and the Grand Priory of Croatia of the OSMTJ, with a special message from Regent Fr+ Nicolas Haimovici Hastier.

Master Paris, Prior Lisec and Chancellor Matos underlined the need for cooperation between all Templar groups, highlighting some of the most important events in the last year. The Chancellor also said that one year ago this convergence was impossible and that, looking to the horizon, all Templar lineages meet in one point, inviting everyone to work on a convergence of efforts right now instead of just hopping for the infinite to come to us instead. Finally he presented the Templar Corps as a genuine structure that can show the leadership and service needed to set service standards to the Order worldwide.

The group then was conducted to the Catedral of Zagreb, parading in full dress. The only exception was Dame Patrícia Oyarzun, Private Secretary to the Master and Chancellor Matos, because Dame Patrícia had difficulties to walk uphill and Fr+ Matos is an opportunist and doesn’t like to walk!

Chancellor Matos accompanies Dame Patrícia in the Taxi, in full dress. The driver insisted in taking the picture 

In the Cathedral the large group was received by the Rector and entered the temple, that was filled with people, in silence and taken to seats reserved for the ordained. The celebratory mass was very moving. Not only the cathedral is a beautifully preserved and in places very well restored 12th century Gothic building, but the liturgy was also tastefully interwoven with musical moments, with traditional vocals and modern instrumental sounds. Beautiful Kyrie. When the group was lead in a ceremonial procession to the plaza in front of the Cathedral, the sun was setting and the hearts were filled.

The event concluded with a Gala Dinner, during which a treaty was signed between the Magisterial Council of the OSMTHU and the International Templar Confederation – Saint Bernard de Clairvaux, that joins over 30 Templar organizations in charity projects based on the Church of San Rocco of Rome managed by the Templars of San Rocco.

Signature of the Protocole with Fr+ Renato Parlato, on the upper left, representing the Confederation

Yes, that day the Templars took over Zagreb. For two days of intense work, fun, relaxation and cultural discussions, brother and sisters from all over Europe were able to forget their different origins, traditions and lineages and live the true brotherhood of Templar ideals.

Next stop: South America and Rome before the end of the year. Do follow us!

Castro Marim – Comemoração dos 700 anos da fundação da Ordem de Cristo

Posted on

Comemorar os 700 anos da Ordem de Cristo é uma alegria sem medida. Não é relembrar um momento no passado, é antes reafirmar um propósito e uma esperança no futuro.

Quero assim agradecer em meu nome, em nome da Ordem Soberana e Militar do Templo de Jerusalém Universal, como seu Chanceler internacional e Prior em Portugal, o convite da Câmara Municipal de Castro Marim – a que respondemos com entusiasmo – bem como a presença e colaboração dos muitos amigos, Irmãs e Irmãs e simples turistas que passavam e vieram saber de que tratava a agitação.

Gostaria de destacar, pelo conteúdo e qualidade, a intervenção do principal autor Português na temática Templária e da Portuguesia, Manuel J. Gandra, que destacou algumas das passagens mais reveladoras e até intrigantes da Bula de criação da Ordem de Cristo, em que se deixa clara a continuidade da do Templo, assunto sobre o qual muitos escrevem, mas poucos de facto concretizam.

Destaco igualmente o apoio permanente e verdadeira militância espiritual das Comendas do nosso Priorado e dos seus membros individualmente, que se viram desta vez apoiados pela visita de Irmãos e Irmãs de outros ramos da Ordem, quer do Algarve, quer mesmo de Espanha, num exemplo de cooperação e convívio fraternal até há pouco tempo inaudito, numa época em que tão facilmente caímos no erro de dividir o mundo em “nós” e “eles”. A todos o nosso agradecimento e aos visitantes, a certeza de que este foi o início de muitos projectos em que com eles contamos.

Sublinho o desempenho exemplar do nosso corpo litúrgico, liderado pelo Comendador de Lisboa e Bispo da Old Templar Church, apoiado nesta ocasião pelo Comendador de Laccobriga, pelos Grandes Oficias Preceptor e Hospitaleiro e demais Irmãos e Irmãs, que ficarão anónimos. Sabemos quem são, sentimos no profundo do coração o efeito do vosso trabalho.

Finalmente, terminando como comecei, sabendo bem o que custa organizar, gerir e montar um evento desta natureza num dos lugares maiores da nossa história, destaco o profissionalismo, o carinho e a paciência como a Câmara Municipal de Castro Marim nos recebeu, Agradeço ao Presidente Francisco Amaral, à sua Vice-Presidente Filomena Pascoal Sintra pela insuperável simpatia e atenção bem como a toda a equipa camarária, cujo esforço e dedicação não passou despercebido. Bem hajam.

Para o ano há que reavivar a memória. Castro Marim e a Ordem de Cristo são património de todos nós, todo o ano, Há que não o esquecer. Possamos ser dignos de tal herança.

Luis de Matos
Prior Geral
osmthu.org

Templar Interpretation Center opens in Portugal

Posted on Updated on

In the close vicinity of the Templar city of Tomar, Portugal, one of the most evocative Templar Castles in the world can be found: Almourol. Situated in a small island in the middle of the Tagus river, overseeing both margins and guarding secret Templar routes from all enemies, Almourol is the subject of legend.

In late 2018 the Municipality of Vila Nova da Barquinha opened right in the center of the village, the new Centro de Interpretação Templária (Templar Interpretation Center), a place where the Templar Order and its continuation in the Order of Christ (of Discoveries fame) is celebrated with dedicated exhibitions, conferences, a comprehensive library and multimedia displays available to the public to explore.

The Center had the major backing, apart from the Municipality and the Portuguese Army that currently has jurisdiction over the Almourol castle, of researcher, philosopher and historian Prof. Manuel J. Gandra, the most respected authority in Templar studies in Portugal – not only because of his strong academic background, but also because he has been the most prolific and consistent author on the theme in the last 25 years. The Center and Prof. Gandra’s work have been fully endorsed by the OSMTHU, that plans to promote a few cultural events in 2019 and 2020 and associate the Order to this beacon of Templar history that merits the attention and collaboration of the Templar world.

The Templar Globe is preparing an interview with Prof. Gandra about the TIC. Meanwhile, please take a look at a video about this remarkable place.

Retiro de Outono 2018 – Tempo de Estudo e Festa

Posted on

Nos passados dias 23 e 24 de Novembro o Priorado de Portugal reuniu em Arraiolos os seus Comendadores, Cavaleiros e Damas e levou a cabo o Retiro de Outono de 2018 dedicado à formação inicial dos graus de Cavalaria.

A festa começou na realidade no dia 22 com um jantar organizado pelos Noviços da Comenda de Lisboa – Chagas, numa Sessão Solene de Encerramento de Instrução de Noviços, que decorreu em Lisboa e serviu de oportunidade para falar em ambiente de festa de todos os assuntos que não cabem numa reunião litúrgica normal. Como era de esperar, o convívio prolongou-se na noite, mesmo sem a presença do Comendador, Fr+ Luis Fonseca, retido em casa por uma febre inoportuna.

Tratou-se de uma digna preparação para o Retiro que se aproximava no dia seguinte em Arraiolos.

Foto: “As melhoras Comendador Fonseca!”

Sob os auspícios da Comenda de Arraiolos, o dia 23 iniciou-se com o jantar de convívio, a que se seguiu um debate sobre o Parsival na versão de Chretien de Troyes e o contexto histórico da elaboração deste romance seminal, relacionando-o nomeadamente com a Ordem de Cister e a Ordem do Templo, sem deixar de olhar à simultaneidade do surgimento da nação Portucalense. O debate foi longo e frutuoso. Com o trabalho ao redor dos capítulos iniciais do Persival, os segredos da Cavalaria forma-se revelando e a capa que cobre o conto como um véu foi dando lugar à visão clara das coisas.

No dia seguinte o grupo cresceu mais um pouco com a chegada do Grão Prior e de mais Comendadores, Damas e Cavaleiros e passou-se a um ambiente de sala de aula. Com recurso a apresentações visuais, mas igualmente ao imprescindível quadro para desenhar esquematicamente os assuntos que se iam desenrolando, o Prior de Portugal, Fr+ Luis de Matos e o Comendador de Lisboa, Fr+ Luis Fonseca – já mais recuperado dos últimos dias de febre – abordaram todos os fundamentos iniciáticos da Cavalaria Espiritual, integrando-os na história da tradicional Ordem do Templo, enquadrando-os com elementos da História de Portugal e das suas tradições e lendas, sempre com o Parsival e a Demanda do Santo Graal como pano de fundo.

Entre outros assuntos, esclareceu-se o fundamento teológico da Cavalaria, como mediadora entre os princípios iniciais expressos nas qualidades do Paraíso Perdido e o mundo real onde encontramos a injustiça e a falta de compaixão como regra; o fundamento simbólico da Cavalaria, com os diversos elementos de base geométrica, matemática e metafísica que compõem a ciência cavaleiresca e as regras com que esta procura decifrar o Universo, a posição do Homem e a sua relação com os outros seres e o Criador; terminando com o fundamento iniciático, de cariz mais interior e íntimo, mas verdadeiranente redentor e reintegrador.

Pela tarde do dia 24 juntaram-se os Noviços e Escudeiros que viriam a ser recebidos ou elevados na Ordem durante a celebração do Capítulo após o Banquete. Fizeram-se as apresentações, alguns Irmãos tomaram a palavra para contextualizar cada um dos graus da Ordem, bem como o quadro organizacional da OSMTHU nacional e internacional.

Pelas 20h o grupo foi recebido na Pousada do Convento de Nossa Senhora da Assunção de Arraiolos para um magnífico Banquete, em que se juntaram Cavaleiros, Damas, Escudeiros e Noviços e suas famílias, bem como alguns convidados. Honrou-nos com a sua presença o Grão Prior de Portugal da OSMTH, Fr+ António Andrade e sua esposa.

Foto: Mesa dos Grão Priores, Oficiais e Comendadores

Seguiu-se o Capítulo conjunto, presidido pelo Comendador de Lisboa – Chagas, Fr+ Luis Fonseca, a que se associaram os Comendadores de Sintra, Fr+ Paulo Valente, de Lagos, Fr+ Victor Varela Martins e de Arraiolos, Fr+ Rui Herdadinha, durante o qual se procedeu à recepção de uma Irmã Noviça, bem como à elevação de quatro Irmãos Escudeiros.

Ficam os parabéns e agradecimentos às Comendas que trabalharam em conjunto para a realização deste evento, particularmente aos esforços do Comendador Fr+ Rui Herdadinha que foi um excelente anfitrião.