Calendar Addition

Pentecost Benedictio Militia 2018

Posted on

Come and celebrate Pentecost in a Templar way.

The 18 – 20 May 2018 the Priory of Portugal will host a three day event that includes Conferences, Debates and a full Adoubement Ceremony with Vigil and Pentecost Benedictio Militia.

Templars from any branch of the Order are invited. Most activities (except the Vigil and short private section of the ceremony) are opened to the public, subject to pre-registration. All are welcome. More details (place, times, registration, etc.) upon request.

Request your invitation today.

 https://templarsosmthu.wordpress.com/the-order/pentecost-benedictio-militia-2018/

FAQ

Q: Who is organizing this Event?
A: The Priory of Portugal of the OSMTHU

Q: Who is the OSMTHU?
A: A branch of the Palaprat Templar Order (1804) that is organized in Autonomous Priories since 1945. You can check the provenance here: https://templarsosmthu.wordpress.com/structure-and-provena…/

Q: Is this the Templar Order of the Middle Ages or a (the) right descendant lineage of that Order?
A: No. There is no such thing. The history of the Templars is fascinating, but one thing is sure: after over 900 years of its foundation and 700 years after its suspension, no single group can make such a claim with any degree of truth. There were pockets of survival at the time and we do study what became of the Order and its project across Europe, but any claim of continuity from any group should be regarded with extreme caution.

Q: So, why are you using the Order’s name and symbols?
A: For the same reason that we still have the Olympics today. For the same reason modern Universities, Academies and other Institutions draw on their Greek and Roman predecessors: the spirit is alive and the values they stood for are still valid and very much in need in today’s world. There is no linear historical flow, but the spiritual connection and ideals can be mastered and put to use. Our Order has been doing so for over 200 years and our branch for over half a century. It’s not likely we’ll stop now!

Q: Is this connected with Freemasonry?
A: No. Freemasonry is a fraternal Order that has no direct link to the 1804 revival of the Templar Order by Palaprat.

Q: I have joined the Templars in a branch different from yours. Can I attend the event?
A: Yes. We accept Registration to the Event by every Knight or Dame that can attest affiliation to a Templar inspired Order, such as OSMTJ, OSMTH, OCMTJ, OSTI, OCE, OVDT, CBCS, KT, OSMA, etc.

Q: But I am not active at the moment. Can I still attend?
A: Once Chivalry is duly transmitted, it remains active in oneself if the values are kept. We don’t want to know about current membership status in any Order. Membership is a private matter for each individual. We only need to validate that Chivalry was transmitted so that we can open the access to the private part of the ceremony to those who wish to attend it.

Q: I am not a member of any Templar Order. Can I attend?
A: The general public can Register and attend the Event. The only exception is part of the Vigil (that starts around 9pm on Saturday and ends around 8am the next morning). New Knights and Dames need to be secluded and in silence and meditation during that period. The ceremony ends with the doors of the church opened to the public and the celebration of Mass and Eucharist at 9am on Sunday.

Q: Apart from the Ceremony, what else will take place?
A: There will be a Conference and Debate on Friday night and Saturday afternoon, with several guests speaking on “Conflict and the Notion of the Just War”. There will be a Gala Lunch on Saturday where attendees, members and invited guests, will network and get to know each other. The start of the Vigil, around 6pm and up to 9pm will take place in the church and will be opened to the public. Doors close at 9pm and only Knights and Dames may remain then. Doors will reopen at 9am on Sunday allowing the public to witness the completion of the Ceremony and Mass. In all, there are three days of conferences, debates, talks and ceremonies.

Q: I’m not a member of a Templar Order. Can I become a Knight (or Dame) during the Event?
A: No. The Pentecost Benedictio Militis is a ceremony that closes a cycle that was opened when the members that are going to be Knighted were received as Novices quite a while ago. The Order is not accepting novices during Pentecost.

Q: Where will the Event take place?
A: It will take place In the country of Portugal, in a small medieval village relatively close to the capital, Lisbon.

Q: Why don’t you disclose the location?
A: To avoid unwanted attention in a very special spiritual occasion, the location is only disclosed to Registered participants. The Event will take place in a village conveniently accessible from the main Portuguese airport, featuring good accommodation and historically rich surroundings.

Q: What language will be used during the Event?
A: Portuguese and English.

Q: How much does it cost to attend?
A: Further information should be requested via email to osmthu@mail.com

Advertisements

Conference – History of the Knights Templar and how they were reorganized into the Portuguese Knights of Christ

Posted on Updated on

We have received the following message from dear Br+ Bryant Jones, GP USA of the OSMTJ.

“I’ve been asked to speak on the “History of the Knights Templar and how they were reorganized into the Portuguese Knights of Christ” at the Dighton Rock Museum in Berkeley, Massachusetts. Please see the pictures below for the inside and outside of this wonderful museum.  The Dighton Rock is significant for us because when the member of the Portuguese Knights of Christ named Miguel Corte-Real was sailing the coast of Massachusetts in 1511, he stopped to sign this rock and carve into it the symbol for the Knights of Christ.  As you are aware, the Knights of Christ originated from the Knights Templar.

All of you are invited and I begin speaking at 1pm this Sunday August 13th.  (The vast majority of you live far away and I don’t expect you to drive all that way for a 1 hour presentation).

Directions:  Please follow the directions to Dighton Rock State Park listed on their website: https://m.facebook.com/FriendsOfDightonRockMuseum/

If any of you would be willing to share the link about this event from their above Facebook page, I would be grateful to you.

God bless,

Bryant Jones

Grand Prior OSMTJ-USA

www.TheKnightsTemplar.org

 

Dear Br+ Jones, please send us a text with your speach. We would love to publish it!

Aula Livre – Quinta da Regaleira

Posted on

regaleira2015

A Quinta da Regaleira e os seus Jardins Iniciáticos e Palácio, está situada na encosta da Serra de Sintra e a escassa distância do Centro Histórico. O seu construtor, Carvalho Monteiro, pelo traço do arquitecto italiano Luigi Manini, deu à quinta de 4 hectares, o palácio, rodeado de luxuriantes jardins, lagos, grutas e construções enigmáticas, lugares estes que ocultam significados alquímicos, como os evocados pela Maçonaria, Templários e Rosa-cruz. Modelou o espaço em traçados mistos, que evocam a arquitectura românica, gótica, renascentista e manuelina.

Homem de grande cultura clássica, Carvalho Monteiro era dono de uma excepcional colecção camoniana. A mitologia greco-romana, as visões infernais de Dante e os ecos de um passado distante de misticismo e deslumbre acompanham o visitante que queira decifrar os mistérios de jardins e cavernas, num viagem ao interior da alma.

A visita terá lugar no dia 31 de Maio, iniciando-se pelas 14h30 e terminando 19.00h, sendo guiada por Luis de Matos e Luis Fonseca* (ver: universatil.wordpress.com).

As inscrições são limitadas e devem estar concluídas até dois dias antes da visita por imposições logísticas da própria Quinta.

A visita tem um custo de 10€ por pessoa + entrada no monumento** (ver preços de admissão ao monumento em: regaleira.pt)

Inscrições prévias: ihshi@mail.com

* Luis de Matos é autor, entre outros de “A Maçonaria Desvendada – Reconquitar a Tradição”, “Quero Saber – Alquimia” e “Breve Memória sobre a Ordem do Templo e Portugal”; Luis Fonseca é autor de, entre outros, de “Perit ut Vivat” e “A Doutrina Cristã Esotérica”.

** para alunos do Curso Livre Templários e Templarismo da Universidade Lusófona, bem como membros da OSMTHU a visita é gratuita e apenas devem pagar a entrada no monumento, contudo DEVEM INSCREVER-SE de modo a garantir a participação.

Aula Livre – Visita ao Palácio da Pena em Sintra

Posted on Updated on

pena2015 O Palácio da Pena ergue-se sobre uma rocha escarpada, que é o segundo ponto mais alto da Serra de Sintra. Localiza-se na zona oriental do Parque da Pena, que é necessário percorrer para se chegar à íngreme rampa que o Barão de Eschwege construiu para se aceder à edificação acastelada. O Palácio propriamente dito é constituído por duas alas: o antigo convento manuelino da Ordem de São Jerónimo e a ala edificada no século XIX por D. Fernando II. Estas alas estão rodeadas por uma terceira estrutura arquitetónica, em que se fantasia um imaginário castelo de caminhos de ronda com merlões e ameias, torres de vigia, um túnel de acesso e até uma ponte levadiça.

Em 1838 o rei D. Fernando II adquiriu o antigo convento de monges Jerónimos de Nossa Senhora da Pena, que tinha sido erguido no topo da Serra de Sintra em 1511 pelo rei D. Manuel I e se encontrava devoluto desde 1834 com a extinção das ordens religiosas. O convento compunha-se do claustro e dependências, da capela, sacristia e torre sineira, que constituem hoje o núcleo norte do Palácio da Pena, ou Palácio Velho.

É um dos mais importantes legados do Portugal simbólico. A propósito do antigo Mosteiro da Pena, do Rei Artista D. Fernando II e da recriação arquitectónica e paisagística da mítica Ilha Secreta dos heróis e da Floresta que cerca o Castelo Inacessível do Santo Graal, iremos conhecer melhor mitos e lendas que enquadram o programa simbólico e o lançam, com força e vigor, em direcção ao futuro. Ao Portugal que falta cumprir, nas palavras de Fernando Pessoa.

A visita terá lugar no dia 24 de Maio, iniciando-se pelas 14h30 e terminando 19.00h, sendo guiada por Luis de Matos (ver: universatil.wordpress.com).

As inscrições são limitadas e devem estar concluídas até dois dias antes da visita por imposições logísticas do próprio Palácio.

A visita tem um custo de 10€ por pessoa + entrada no monumento* (ver preços de admissão ao monumento em: parquesdesintra.pt)

Inscrições prévias: ihshi@mail.com

* para alunos do Curso Livre Templários e Templarismo da Universidade Lusófona, bem como membros da OSMTHU a visita é gratuita e apenas devem pagar a entrada no monumento, contudo DEVEM INSCREVER-SE de modo a garantir a participação.

Visita ao Convento dos Capuchos em Sintra – Instrução de Escudeiros 2014

Posted on

Sintra_07_13_625

Terá lugar no próximo Domingo, 13 de Julho de 2014, a segunda Visita/Instrução deste ano para formação de Escudeiros, desta vez ao Convento dos Capuchos em Sintra. O tema a abordar será a Via Monástica e a Via Sacerdotal.

Será mais uma tarde de aprendizagem e agradável convívio fraternal, já que a visita é fechada apenas aos membros da Ordem, seus familiares e amigos. O Priorado Ibérico da Osmthu mais uma vez aproveita a vantagem excepcional de ter uma Comenda sobranceira à Vila de Sintra (Património da Humanidade), domínios de grande tradição histórica, artística e espiritual para marcar a forma única e diferenciada que tem de viver o espírito de Cavalaria nos tempos modernos. Com qualidade, com intensidade e com sensibilidade.

Assim Deus ajude.

Visita ao Parque da Pena – Instrução de Escudeiros

Posted on Updated on

Sintra01

Realizou-se no dia 22 de Junho uma visita ao Palácio e Parque Florestal da Pena em Sintra, organizada pela Comendadoria de Sintra do Priorado Ibérico da Osmthu, com o intuito de proceder à Instrução de Noviços.

O tema do dia foi a Demanda do Santo Graal. O local não podia ser o mais apropriado. De facto, sobre o Palácio da Pena disse Richard Strauss no dia em que o conheceu: “Hoje é o dia mais feliz da minha vida. Conheço a Itália, a Sicília, a Grécia e o Egipto, e nunca vi nada que valha a Pena. É a coisa mais bela que tenho visto. Este é o verdadeiro jardim de Klingsor e lá no alto, está o Castelo do Santo Graal”.

A chuva ameaçou o dia, mas o sol abriu as nuvens sobre a hora de início da visita. Durante cerca de duas horas o numeroso grupo recordou a lenda de Parzival na versão de Wolfran von Eschenbach. Foram destacados os elementos simbólicos centrais à Demanda e, de ponto de observação privilegiado, não houve nenhuma dificuldade para os Escudeiros identificarem na paisagem circundante os locais onde D. Fernando II, monarca criador da fantasia romântica que é a Pena e os seus jardins, colocou em destaque alguns deles. As obras de restauro a que o edifício está a ser sujeito impediram que alguns elementos arquitectónicos fossem analisados, mas a visita à Capela de Nossa Senhora da Pena e o estudo, particularmente, dos seus vitrais e altar, teve as suas recompensas.

Sintra02

Visto o Palácio em si, por dentro e por fora, foi então ocasião de iniciar a exploração dos jardins. O grupo foi em caminhada conduzido ao ponto mais alto da Serra de Sintra, a Cruz Alta a 529m, de altura, com uma vista magnífica sobre o Palácio e sobre o estuário do rio Tejo e o mar à direita, abertura atlântica de onde partiram e onde chegaram as Caravelas de Vasco da Gama.

Regressados à Erma Floresta, Caveliros, Damas e Escudeiros (e convidados) reuniram-se ao redor da Távola Redonda e recordaram a lenda que conta como Parsifal conheceu a Cavalaria e de como ficou espantado com ela. Ao ver os escudos, armaduras reluzentes, lanças, espadas e capas ao vento só se lembrou de perguntar ao Cavaleiro que lhe apareceu na floresta: “Sois Deus?” e quando este disse que não “Sois um anjo”?

Sintra03

O tempo se fez curto para tanta matéria e os Escudeiros foram conduzidos numa missão de recolha de informação ao Templo das Colunas, ali perto. Nada lhes foi dito sobre o dito Templo, a não ser que o deviam submeter a rigorosa observação e procurar dele extrair os elementos que lhes chamassem a atenção. Reunido o grupo mais uma vez em redor da Távola revelou-se que as múltiplas intuições estavam alerta. Vários tinham levado as suas máquinas fotográficas e lá recolhiam o testemunho da sua atenta observação. De facto, de todos os elementos simbólicos chave, mais de 2/3 estavam nas mãos do grupo e as reflexões que, em conjunto, tiveram a oportunidade de fazer, na sua vasta maioria se aproximaram muito de resultados excepcionais.

Daquele lugar mágico, o grupo dirigiu-se ainda mais para o fundo da floresta, abandonado o caminho fácil e pavimentado recomendado a turistas. Depois de passarem por covas e grutas onde alguns monges de S. Jerónimo (SJ) tinham o hábito de se recolher por certas temporadas, descobriram entre improváveis giestas os rastos de velhas escadarias que, entre duas estreitas e elevadas fragas, os levaram à contemplação da Palácio desde o Trono, aglomerado lítico de importância central. Foi o descanso do peregrino, antes de se voltar a embrenhar nas trevas da floresta.

Sintra04

Em busca da fresca água da Serra o grupo pôde ver o modo intencional e muito sábio como as correntes aquíferas e o jogo entre minas e lagos decorativos, captavam a essência mais subtil da vida na Serra e como, pelos seus vales, tudo faziam florir e frutificar, serpenteando pelas fragas, alimentando de frescura e luz os vales profundos. Ao fundo, os cisnes brancos evocavam os Cavaleiros da Távola Redonda e os lagos onde Amfortas, o Rei Pescador, se banhava e onde curava as suas feridas.

O grupo retirou-se do Parque já muito para lá da hora prevista (os portões já estavam fechados e foi necessário pedir que a segurança viesse abrir as portas para sair do Parque!), cansado, mas feliz com a oportunidade e com a cabeça a colocar-se questões sobre a Cavalaria viva e actuante nos tempos modernos como possivelmente não se teria colocado antes.

Em nome de todos os Cavaleiros e Damas da Ordem, devemos enaltecer as qualidades demosntradas ao longo da peregrinação do dia pelos Escudeiros presentes. Boas coisas se esperam deles. As instruções irão prosseguir em Julho, com uma visita ao Convento dos Capuchos em Sintra, sob a temática da Via Monástica.

Sintra05

Alguns links para conhecer a Pena:

Visita Virtual no Google

Vista 360º

Blog com boas fotos

Página oficial do Palácio