Os Templários em Portugal

templer2_l.jpg 

Extinta há quase 700 anos, a Ordem do Templo é quase um mito urbano, tornado ainda mais atraente por Dan Brown em 0 Código Da Vinci.

Entre as centenas de romances pseudo-históricos publicados nos anos mais recentes, tanto entre os que contêm uma vertente fortemente esotérica como naqueles que se pretendem mais realistas, há uma presença quase constante. Referimo-nos, claro está, à famigerada Ordem do Templo, cujos membros, os célebres cavaleiros templários, dão origem aos mais diversos mitos, especialmente depois do sucesso de O Código Da Vinci, de Dan Brown.

De autênticos santos, que deram a vida para salvar de um maquiavélico Papa o Santo Graal, até membros de uma sociedade secreta, capazes dos actos mais bárbaros para angariar poder e dinheiro, já tudo se disse a respeito dos membros desta ordem.

Claro que, com tantas nuvens a ensombrar a sua existência, ninguém sabe muito bem o que era, realmente, a Ordem Militar e Religiosa dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão. Dela se diz ter estado na posse do Graal, de uma biblioteca onde se destacavam tomos que sobreviveram à destruição da biblioteca de Alexandria e de um tesouro incalculável. Uma tal riqueza que ainda hoje, quase 700 anos passados sobre a sua extinção, são muitos os que continuam à procura do tesouro dos templários.

Outra questão curiosa diz respeito à fulgurante ascensão da Ordem do Templo. De pequeno grupo com apenas nove membros em 1118, em menos de dois séculos transformou-se na mais poderosa organização da Europa, com propriedades em vários países e com uma capacidade financeira que lhe permitiu, até, emprestar dinheiro a monarcas. Independente das hierarquias religiosas da época, na dependência directa do Papa, a Ordem do Templo gerou tantas invejas que não admira que, quando Filipe, o Belo, rei de França, resolveu persegui-la, tenham sido muitos os que a ele se aliaram.

E ainda cedo, porém, para falarmos da extinção dos templários. Deixemos isso para o final do artigo e analisemos aquilo que se passou nestes movimentados séculos da História da Europa. Para contar a história da Ordem do Templo é necessário recuar até Março de 1095, quando Alexius 1, imperador do sacro império romano do Oriente, enviou ao Papa Urbano II um pedido de auxílio contra a ofensiva turca. Surpreendido pela missiva em pleno concílio de Piacenza, Urbano vê nele uma rara oportunidade de fazer sarar as feridas deixadas pelo grande cisma de quatro décadas antes de voltai a colocar todos os cristãos sob a alçada do papado.

croisades2.jpg

Oito meses são necessários para que o Vaticano defina a sua estratégia. Em Novembro do mesmo ano, no concílio de Clermont, Urbano profere um discurso apaixonado para nobres e sacerdotes, no qual exige o envolvimento de todos para libertar a cidade santa de Jerusalém das mãos dos infiéis turcos.

Para além dos propósitos religiosos, esta operação teria, ainda, as vantagens de reduzir a densidade populacional em França (considerada à época um grave problema) e de dar à nobreza algo com que se ocupar (as questões intestinas entre nobres eram cada vez mais frequentes e não raramente tomavam-se crimes). “Permiti que os ladrões se tomem cavaleiros! “, afirmou o sumo pontífice.

Naquele que é considerado um dos mais importantes discursos da História da Europa, o Papa logrou reunir um continente inteiro sob a mesma bandeira e com idêntico objectivo (ainda que com diversidade de razões). E assim, a 15 de Agosto de 1096, tinha início a Primeira Cruzada (embora meses antes tivessem já partido milhares de peregrinos de escassas posses, que viriam a morrer na sua quase totalidade vítimas da doença, da fome e dos ataques de saqueadores).

Encontrando pela frente um inimigo dividido e pouco organizado, a cruzada transformou-se num autêntico passeio para os nobres europeus. Ainda por cima armaduras revelavam-se virtualmente incapazes contra as armaduras e cotas de malha dos cavalei
ros, que menos de três anos após a partida estavam já a organizar o cerco à cidade santa. Em clara superioridade numérica e tecnológica, os cruzados conseguiriam tomar Jerusalém em Julho de 1099.

A tomada de Jerusalém foi extremamente sangrenta. A quase totalidade dos habitantes – muçulmanos, judeus e, até, cristãos orientais – foi massacrada. Segundo a Gesta Francorum, um livro de autor anónimo que se crê ter sido escrito por um cruzado, diz que “a carnificina foi tão grande que os nossos homens caminhavam em sangue até aos tornozelos”.

Tomada a cidade, o poder foi entregue a Godofredo de Bolhão. Depois de re cusar o título de rei, dizendo que jamais usaria uma coroa de ouro na cidade onde Nosso Senhor usara uma coroa de espinhos, viria a aceitar apenas o título de Protector do Santo Sepulcro. Infelizmente, porém, o “reinado” de Godofredo durou pouco. Uma estranha doença, que muitos consideraram consequência de um envenenamento, matá-lo-ia em 1100. Desta forma, foi o seu irmão Balduíno a assumir o poder. Sem os pruridos de Godofredo, aceitou a coroa e o trono de Jerusalém como Balduíno I.

Após a morte sem deixar descendência de Balduíno I, o reino de Jerusalém atravessou uma fase complicada. A primeira ideia foi entregar a coroa a Eustáquio, irmão mais velho de Godofredo e de Balduíno. As movimentações de Joscelin de Courtenay, porém, levaram a um volte-face. No trono acabaria Balduíno de Bourcq, primo dos dois irmãos, que reinaria como Balduíno II.

badoin.jpg

Seria este monarca a receber, logo no seu primeiro ano no trono, a visita de Hugo de Payens que, com outros oito cavaleiros do condado de Champagne, se foi oferecer para garantir a segurança nas estradas para a Terra Santa dos peregrinos cristãos que, provenientes da Europa, pretendiam chegar a Jerusalém. Os ataques dos salteadores (não apenas muçulmanos mas, em muitos casos, também cristãos) faziam inúmeras vítimas e, apesar de múltiplas tentativas, nunca os cruzados tinham conseguido garantir a segurança da costa até à cidade santa.

Balduíno aceitou a proposta e entregou aos nove cavaleiros instalações no Monte do Templo, no local onde, diz a tradição, estariam instaladas as cavalariças do rei Salomão. A localização das suas instalações originais viria a justificar parte do nome da ordem.

Logo nos seus primórdios os mistérios começam a adensar-se em tomo dos templários. Durante os nove primeiros anos de existência da ordem, nem um só cavaleiro se alistou nas suas fileiras. Segundo os que crêem em explicações místicas, isto deveu-se ao facto de os membros originais da ordem se terem dedicado a buscas incessantes no local onde se erguera o Templo de Salomão. Levando esta possibilidade ao extremo, os templários teriam encontrado (pelo menos) parte do grande tesouro de Salomão, incluindo a Arca da Aliança, e justificando a rápida angariação da sua fortuna. Mais racional é a justificação dada pelas ordens que se dizem herdeiras dos templários – nos primeiros anos, os votos da Ordem do Templo (castidade, pobreza e obediência) desmotivavam quaisquer interessados.

É em 1127 que se assiste a um enorme progresso por parte dos templários, em grande parte devido aos esforços do abade cisterciense Bernardo de Claraval. Para além de escrever os estatutos da Ordem do Templo, com base nos da de Cister, Bernardo envia a Hugo de Payens uma carta que garantirá aos templários o apoio de toda a cristandade. Esta missiva, com o título De Laude Novae Militia (Elogio à Nova Cavalaria, em tradução livre), correria mundo e angariaria inúmeros recrutas entre a nobreza, para além de uma enorme quantidade de donativos em dinheiro e terras, provenientes de nobres que, por um ou outro motivo, não podiam juntar-se à ordem.

Por estranho que pareça, esta generosidade de nobres e monarcas para com os templários começa a fazer-se sentir em Portugal antes mesmo de Bernardo de Claraval dar início à sua campanha de marketing em favor da ordem. O historiador André Jean Paraschi, na sua História dos Templários em Portugal, admitindo a possibilidade de doações anteriores, refere a oferta, ainda em 1126 e por parte da rainha D. Teresa (mãe de D. Afonso Henriques), da vila de Fonte Arcada, perto de Penafiel, para além de herdades, quintas e solares ofertados por outros proprietários.

Segundo o frei Bernardo da Costa, na sua História da Militar Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo publicada em 1771, foi na Fonte Arcada que os templários instalaram a sua primeira sede em território português. Tal facto leva a colocar em dúvida a possibilidade de, nessa primeira fase, o seu principal papel ser militar – já que Penafiel ficava bastante longe da frente de combate contra os mouros.

Dois anos volvidos, a sede dos templários muda de local e, agora sim, parece ter já um papel militar. As instalações ficam, agora, no castelo de Soure, também doado por D. Teresa. Situado na confluência de três rios (Arunca, Anços e Arão, todos afluentes do Mondego), Soure funciona como guarda avançada à cidade de Coimbra. Por curiosidade, será às portas deste castelo que, em 1144, os templários sofrem uma das suas mais pesadas derrotas em Portugal, perante as tropas de Abu Zakaria, vizir de Santarém.

A lista, a partir daqui, engrossa rapidamente – muito em especial após a independência e a subida ao trono da dinastia de Borgonha. Esta simpatia dos descendentes do Conde D. Henrique pela Ordem do Templo poderá estar relacionada com a proximidade entre a nobreza da Borgonha e a de Champagne – de onde vieram os templários originais – ou com o facto de o grande ideólogo do templarismo, Bernardo de Claraval, ser ele próprio um borgonhês de nobres famílias.

Enquanto a nobreza portuguesa ia dando aos templários quintas e herdades a um ritmo alucinante, contribuindo decisivamente para o enriquecimento da ordem e para o incremento das fontes de receita, D. Afonso Henriques e os seus sucessores seguiam uma estratégia distinta: as suas doações, em terrenos ou fortificações, situavam-se em zonas estratégicas do País. Os reis reconheciam o poder militar dos templários e atribuíam-lhes funções de primeira linha de defesa contra possíveis ataques de muçulmanos ou castelhanos.

Mas os templários não se limitavam a um papel defensivo. Na maior parte das batalhas da Reconquista, os reis de Portugal puderam contar com soldados da Ordem do Templo entre as suas forças. Até durante o cerco de Lisboa, quando um exército muçulmano tentou, a partir do exterior, romper as linhas cristãs, foram os templários que estiveram nas zonas mais quentes de combate, prestando um apoio decisivo para repelir o inimigo.

Se olharmos para o mapa de possessões templárias em Portugal no final do século XII, verificaremos não apenas a grande quantidade de propriedades, mas, sobretudo, a distribuição lógica e estratégica das suas instalações militares. Pode dizer-se que Portugal foi, de facto, um dos primeiros locais onde o empório templário começou a estabelecer-se. No entanto, e ao contrário do que aconteceu noutros países (mormente em França), as relações entre a coroa e a Ordem do Templo foram sempre muito estreitas, sem que se conheçam quaisquer situações de tensão.

misterios20002.jpg

Uma das mais importantes doações feitas por D. Afonso I à Ordem do Templo foi, por alturas de 1159, a do território de Nabância. Seria aqui que nasceria Tomar, considerada a mais templária de todas as cidades. Com o seu magnífico castelo e com uma das mais importantes igrejas puramente templárias erigidas no Mundo (Santa Maria do Olival), Tomar terá sido, a par de Chipre, a capital oficiosa da Ordem do Templo. A sua importância era de tal forma grande que mereceu estrutura defensiva própria – que incluía os castelos da Cardiga, de Bode, de Zêzere, de Almourol e da Sertã, para além de fortificações em Pias e Domes.

Apesar de Portugal ter sido sempre um refúgio para os templários, devido às estreitas ligações que a ordem tinha com os monarcas, a sua presença entre nós não foi sempre pacífica. Logo durante a reconquista, o primeiro bispo cristão de Lisboa, o inglês Gilberto de Hastings, tentou convencer D. Afonso Henriques a colocar travão na autonomia templária (os seus mestres não respondiam senão perante o Papa), mas os seus intentos sairiam gorados.

diniz.jpg

Quando, a 13 de Outubro de 1307, Filipe, o Belo, rei de França, com a conivência do Papa Clemente V, logrou concretizar a extinção dos templários, vários monarcas europeus obedeceram às instruções papais. Não foi o caso de D. Dinis. O rei português exigiu, em troca, que o Vaticano o autorizasse a criar uma nova ordem militar e religiosa, que recebeu o nome de Militar Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Temendo que, caso não acedesse à solicitação do rei português, Dinis permitisse a permanência dos templários no seu território, Clemente V aceitou. Aquele que ficou para a história como rei-poeta mas que não era, por isso, menos competente em termos políticos, não perdeu a oportunidade. Transferiu os bens templários para a novel ordem, evitando que caíssem nas mãos papais, e integrou os cavaleiros da Ordem do Templo que o desejassem na Ordem de Cristo, permitindo-lhes escapar à perseguição do Vaticano.Graças a estas medidas, Portugal manteve a capacidade militar e a cultura dos templários, ainda que agora ocultas sob outro rótulo. Seriam os templários a sugerir a plantação do Pinhal de Leiria, para drenagem das áreas pantanosas e para obter madeira para a construção de uma frota. E não foi por acaso que, quando partiram para os Descobrimentos, as naus portuguesas ostentavam nas velas a cruz templária. Mas isso são contas de outro rosário…

in Revista Focus (13/6/2006) [José Colaço]

______________________________________________________

Ver ainda:

Templar Cronicles I

Templar Chronicles II – Alcobaça 1

Templar Chronicles III – Alcobaça 2

The Templar Castle of Almourol (video – Português e Inglês)

Stairways to heaven – Templars in Portugal

Tomar – Last redoubt of the Knights Templar

Charola de Tomar vai ser recuperada

Malta guarda sepultura lendária

Edição portuguesa divulga documento secreto sobre templários


79 thoughts on “Os Templários em Portugal

    João Cristiano de Sousa Fontes said:
    June 23, 2007 at 10:31 am

    Agradecia o contacto de Fernando Campello de Sousa Fontes para o meu email, mencionado em cima.

    Atentamente,

    João de Sousa Fontes

    Ricardo Moreira said:
    July 20, 2007 at 7:49 pm

    saudações,
    Agradeceria muitíssimo se me fosse possível contatar via e-mail o senhor Campello de Souza Fontes.
    Grato desde já,
    .:Ricardo Moreira:.

    Luis Matos responded:
    July 20, 2007 at 10:26 pm

    No Templar Globe desconhecemos o email do Senhor Fontes. Sugerimos que tente procurar no “google” pela sua página oficial e desde aí o procure contactar. Como está expresso na página “Magisterial Council”, o ramo da Ordem a que estamos associados tem como Mestre eleito o Italiano Antonio Paris, não mantendo contactos formais ou outros com o ramo a que o Senhor Fontes está ligado.

    Isabel Fontee said:
    August 6, 2007 at 2:10 pm

    Boa tarde,

    O meu nome é Idália Isabel Pinto de Sousa Fontes.
    A minha família do lado paterna é directa do Sr. Fernando Campello Pinto de Sousa Fontes, por parte do meu avô. Que entretanto faleceu.
    Ando em busca de “alguém” da parte da família do meu avô há anos. Encontrei uma entrevista num jornal diário, de há pelo menos 4 anos atrás. Onde mencionam os irmãos do meu avô e restante família viva.
    A quem ler este meu comentário, por favor se me puderem dar algum contacto ou até, enviarem esta nota ao Sr. Fernando Fontes, fico agradecida. Pois tenho uma enorme curiosidade em conhecer esta parte da minha família que não conheço.
    O meu mail isabelsousafontes@gmail.com
    Muito obrigado.
    Isabel Fontes.

    naty25 said:
    September 22, 2007 at 1:46 pm

    Boa tarde, o meu nome é Natália.
    Tenho um interesse muito especial pela ordem dos Templários, levando á leitura e pesquisa aprofundada tanto quanto possivel, sobre as suas origens e história até aos dias de hoje. No entanto gostaria de saber se é possível a nós mulheres ingressarmos na Ordem. Caso sim qual é o nosso papel, o que esperam de nós.
    Saudações a todos
    Muito obrigado
    Natália Nobre

    Luis Matos responded:
    September 25, 2007 at 1:56 am

    Cara Natália:

    Embora houvesse desde o início um voto de Pobreza, Castidade e Obediência, bem como uma advertência muito séria de São Bernardo aos Templários em relação à mulher, com o passar do tempo este e outros pontos da regra foram sendo mais observados no espírito da letra do que na formalidade que muitas vezes supomos ter existido. Sabemos bem o que fizeram os Templários com o voto de Pobreza! Podemos imaginar o que teriam feito com o de castidade (no sentido aplicado hoje ao termo).

    O certo é que houve Templários casados e outros que no seu dia a dia conviviam com pessoas ligadas à Ordem que os auxiliavam, entre criados, trabalhadores do campo, artezãos, escudeiros e mesmo mercenários, além de muitos outros trabalhadores que tornavam possível a vida de uma Comenda ou Mosteiro, entre as quais se contavam muitas mulheres.

    Em Palma de Mayorca havia um grupo de freiras regulares debaixo da protecção Templária, as quais usavam hábito branco com cruz pátea vermelha e que lhes sobrviveram. Pode pensar-se, não tivessem os Templários históricos sido perseguidos, se este grupo não acabaria por integrar-se de alguma maneira na estrutura Templária como um ramo de Irmãs do Templo.

    As Ordens de inspiração Templária surgidas no século XVIII (de que a nossa é um ramo), já se exteriorizaram e se desenvolveram num mundo em que a mulher era vista de outro modo. Hoje, tal como sucede em outras Ordens militares e honoríficas, há muitas mulheres que acabam por subir à distinção de Dama (equivalente a Cavaleiro).

    Ou seja, a Ordem aceita homens e mulheres em pé de igualdade. Para a maior parte dos fins da Ordem (como a beneficência, o cuidar dos desprotegidos, o organizar e implementar acções de solidariedade, o discutir aspectos menos mediáticos ligados às assimetrias sociais, etc.), as mulheres têm uma sensibilidade e uma capacidade de entendimento e compaixão mais aguçada que a da média dos homens. Mesmo no que se refre a actividades como a pesquisa histórica, o fomento às artes e aos artistas, a participação nos momentos rituais e sociais, o aconselhamento e direcção de actividades de relações com instituições oficiais ou internacionais, entre muitas outras, a mulher tem um papel tão importante como o homem. Efectivamente, entre todos os ramos da árvore Templária exteriorizada no século XVIII, a nossa é a única que tem duas mulheres como líderes Templárias em países onde estamos activos, designadamente no Paraguai e no Brasil. O nosso Conselho Magistral (o “governo” internacional da Ordem, que assessora o Mestre) tem tido membros permanentes mulheres, de diversos países.

    Contudo, faz parte da herança que transmitimos aos nossos membros, o estudo dos diversos aspectos da Tradição da Cavalaria Espiritual. E nessa Tradição, o papel da mulher é muito específico. Não é de “cavaleira”. Não é de guerreira (embora a mitologia esteja cheia delas, como as Amazonas). A Ordem reconhece à mulher os mesmos direitos e deveres no seu seio que tem qualquer homem. Contudo, no que respeita ao seu desenvolvimento interior e espiritual, dá-lhe acesso a informação específica de acordo com o legado histórico, simbólico e iniciático que recebeu. Este é um assunto muito profundo, que não pode ser detalhado em três parágrafos. Mas creio que deixei já alguns pontos que merecem ponderação. Se, ainda assim, desejar esclarecer melhor algum aspecto, não hesite em perguntar.

    Maria do Monte said:
    November 9, 2007 at 9:38 pm

    Boa Noite,

    Sempre interessei-me pelos Templários, tenho andado a pesquisar a ler o qeu encontro.

    Encontrei este site diz ser a Regra dos Templários:

    http://www.ayltondoamaral.com/As%20regras%20dos%20Templ%C3%A1rios.pdf

    Até que ponto é mesmo a verdadeira Regra?

    Pessoalmente creio que os 9 cavaleiros encontraram a Arca e muitas mais coisas durante as escavações no local do antigo Templo de Jerusalém no Monte Moriah, local sagrado tanto para Cristãos como para muçulmanos, onde hoje se encontra a mesquita e segundo profecias onde um novo Templo será erguido.

    Não creio que foi por acaso que os Templários escolheram Portugal para seus “herdeiros” do conhecimento, antes do rei D.Dinis proteger a Ordem sempre estiveram presentes para a formação do Reino de Portugal com as suas fronteiras definidas, cá para mim já antes programadas.

    Nem foi por acaso que o culto do Espírito Santo foi iniciado por D.Isabel de Aragão, mulher de D.Dinis, chamada a Rainha Santa ISabel, a lenda das rosas é um simbolismo.

    D.Dinis foi um sábio homem, sabia perfeitamente que as acusações que eram feitas aos Templários eram mentiras e não hesitou em ajudar a Ordem.

    Pessoalmente acho que a Ordem Templária devia aceitar mulheres em seu seio.

    Non Nobis, Non Nobis, Sed Nomini Tuo Da Gloriam

    Abraços Fraternais

    Luis Matos responded:
    November 9, 2007 at 11:30 pm

    Estimada Maria:

    Não li em detalhe o documento a que faz o link, mas parece-me ser a genuína Regra do Templo, versão Francesa, séc. XIII.

    A Ordem hoje aceita mulheres e assume a regra com as devidas adaptações ao século em que vivemos. Já os Templários históricos o haviam feito. Em Palma de Mayorca mantinham um convento de Irmãs do Templo muito antes da suspensão da Ordem. Questões como as da impossibilidade de ser Templário e manter matrimónio ou contrai-lo foram também revistas, se não na forma, pelo menos na prática ainda durante os sécs. XIII e XIV.

    O que para nós importa é que os ideais e a missão do Templo estão vivos e têm um papel a desempenhar nos dias de hoje. Tanto as Regras, como as instituições, são instrumentos humanos, importantes decerto, mas meramente o recipiente que contém a essência. E essa, a essência, essa sim é a que interessa. A imperecível.

    José Caetano said:
    November 26, 2007 at 1:50 am

    Luís Matos, boa noite.
    Como obter maiores informações sobre a Ordem?
    Gostaria de me aprofundar. Sou fascinado pelos templários.
    Obrigado

    Luis Matos responded:
    November 26, 2007 at 4:08 am

    Pode mandar um mail para osmthu@mail.com perguntando o que entender. Sempre que estiver ao nosso alcance tentaremos responder.

    Mercio de Souza said:
    April 26, 2008 at 3:45 pm

    Gostaria de saber, como eu faço para entrar na Ordens dos Cavalheiros Templarios,
    Sempre me interessei pelos artigos, filmes e tudo que se refere dos Templários.
    Queria saber se tem como ser um ou entrar na Ordem.
    Desde de já deixo aqui meus agradecimentos.
    Mércio.

    EURICO JOÃO BAPTISTA said:
    May 11, 2008 at 8:48 pm

    IRMÃO LUIS,SOU CRISTÃO ESCLARECIDO NA RAZÃO E NO CONHECIMENTO (TENTO SER ) LISBOETA NESTA CIDADE QUE JÁ FOI QUASE O REINO DOS CEUS,ONDE CRIANÇAS CRISTÃS JUDIAS E MUÇULMANAS ,BRINCAVAM NAS MARGENS DO TEJO,NÃO TENHO NECESSIDADE DAS SETE COLINAS DE ROMA,POIS JÁ TEMOS SETE.EM MORIAH (MONTE DO TEMPLO)REZAREI POR UM MUNDO MELHOR.A ORDEM NÃO TEM LIMITES NEM NO ESPAÇO NEM NO TEMPO.

    Bruno Sa Marques said:
    May 14, 2008 at 12:34 pm

    Luis Matos,

    A 12 anos atras mais ou menos estive durante alguns meses envolvido no instituto Gualdim Pais.E gostava de obter informacoes em como aprofundar e continuar o meu caminho.

    Cristina Domingues said:
    May 26, 2008 at 9:18 pm

    Exmo. Sr. Luís de Matos

    Venho por este meio solicitar e, depois de já ter falado consigo via e-mail, julgo que estará recordado, solicitar a minha entrada na Ordem.

    Fico, então, à espera de uma resposta sua.

    Obrigada.

    Com os melhores cumprimentos,

    Cristina Domingues

    Maria Manuela Moreira said:
    August 29, 2008 at 11:44 am

    Boa tarde,
    Qual o papel de um Templário, em pleno Séc. XX?
    Ainda se justifica uma demanda?
    Ainda tentam contactar os 36 invisíveis?
    O que fazem?

    Cumprimentos,
    MM

    João Santos said:
    October 1, 2008 at 9:14 am

    Gostava de saber qual é actualmente o melhor museu para contar toda esta história…

    manoelpinto said:
    November 7, 2008 at 2:09 am

    Extinta? Acho que não!
    Há cerca de um ano foi liberado um documento que encerra de uma vez por todas a questão do julgamento da Ordem pelo Tribunal do Santo Ofício, houve execução, para não dizer massacre,sem a devida condenação, os motivos todos conhecem.
    Se leres com atenção a bula do Papa Clemente, verificaás que a extinção da Ordem, com a excomunhão de seus membros, se daria no momento em que fossem julgados e considerados culpados por heresia, como isto não aconteceu…
    Cessadas as causas, cessam-se os efeitos,
    isto seria o justo, mas a condenação do Mestre Jacques De Molay e milhares de outros, ignorou esta máxima, todavia outros olhos e outros ouvidos, viram e ouviram, bem mais que os francos. Se procurares bem encontrarás sinais disto na terra dos Anglos, até nos dias de hoje.
    Sds
    manoelpinto.:

    Palumbar said:
    November 21, 2008 at 3:48 pm

    CORRECÇÃO:

    “(…)na confluência de três rios (Arunca, Anços e Arão, todos afluentes do Mondego(…)”

    Confluência dos Rios Arunca e Anços, o Arão – que na verdade é OURÃO – é afluente do Anços, que por sua vez é afluente do Arunca e este afluente do Mondego!

    O erro é da revista mas aqui pode ser corrigido certo?

    Cumprimentos
    Palumbar

    Jose francisco nunes barbosa said:
    November 29, 2008 at 12:54 pm

    que GADu, nós abençoa gostaria muito de participar juntos aos demais IIR.´. para conhecer mais sobre a ordem dos templares qual a forma que tenho de fazer espero resposta dos demais IIR.´. TFA.

    Claudio Inacio said:
    February 6, 2009 at 1:24 pm

    Gostaria muito de saber, o que exatamente, a Igreja Catolica, oculta tanto dos Templarios. Qual é o grande misterio? quando se fala nos temlarios, todos ja pensam; a igreja catolica…
    E so fica nisso… é preciso rasgar o verbo, ou dizer a vardade…

    Antônio Alexandre de Souza Bartocci said:
    February 21, 2009 at 11:24 pm

    Prezados senhor:
    Gostaria de receber informações mais detalhadas sôbre esta famosa, lendária e misteriosa ordem, inclusive de sua parte mística, que desperta enorme curiosidade. Quero receber informações, também, sobre estas atuais ordens de templários existentes, sua finalidade e parte mística, bem como se alguma delas é continuadora direta da extinta Ordem dos Templários. Desde já agradeço penhoradamente a atenção dispensada. Abraços.

    Maria Antónia CHSilva said:
    April 23, 2009 at 2:20 am

    Por diversas razões, tenho muito interesse em aprofundar conhecimentos sobre os Templários.
    Do que tenho lido e pesquisado, parece-me que o grande Tesouro desta ordem são a: Verdade e o Conhecimento, e a Defesa dos mesmos.
    Também penso que esta Verdade e este Conhecimento serão as respostas na totalidade ou talvez em parte às perguntas que fazemos: Quem somos, de onde viémos, para onde vamos.
    E também acredito que estas respostas sejam várias e que possivelmente se encaixam todas umas nas outras.
    Encontrei o vosso site, após pesquisa sobre D.Afonso Henriques, a sua ascendência, e a ligação dos seus antepassados às Dinastias Merovingia e Carolingea e a ligação da familia Borgonha à Ordem dos Templários.
    Este interesse está relacionado com os Descobrimentos, perceber melhor esta época, no tocante à tecnologia então aplicada, aos conhecimentos que os Portugueses detinham e que puseram em execução, como que uma missão que teria de ser cumprida e que não o foi no seu todo. O “adormecimento” dos Templários em Portugal e possivelmente no Mundo, e,neste momento,o ressurgimento destes Temas, dando a impressão que foi retomado o andamento da concretização da Missão ou Missões.
    Será o realizar-se Portugal, o V Império de que fala Fernando Pessoa?
    Também me parece que o momento presente é o de clarificação quanto às organizações que aparecem como verdadeiras herdeiras da Ordem.
    Possivelmente algumas serão mesmo verdade. Talvez as divergências possam ser ultrapassadas!
    As outras possivelmente hão-de desaparecer naturalmente, mas entretanto causam atrasos e confusões…
    Segundo o que me pareceu quanto à situação actual da divisão da Ordem em Itália/Hespanha/Portugal (se é que consegui traduzir o italiano) Itália acusa Pinto de Sousa Fontes de antes de morrer, deixar como herdeiro do seu cargo, o próprio filho, o que contraria as normas da Ordem.
    Entretanto, o herdeiro em funções, terá afirmado a demarcação daquela Organização, Ramo da Ordem, o que lhe queiram chamar, da posição manifestada pela Ordem em Hespanha, em relação a um documento que envolve a Igreja/Roma.
    Pareceu-me que esta divergência de posições, dá a impressão que até àquela data, estes Ramos da Ordem, estariam próximos entre si e afastados da organização em Itália.
    E este site pertence ao Ramo de Itália!
    Na semana que passou apareceu uma notícia muito interessante, que tem a vêr com a Ilha Terceira/Açores, que olhada por via aérea, se podem vêr figuras de animais, vários..
    A jornalista e investigadora da Sociedade de Geografia de Lisboa; Fernanda Durão (parece-me que tem colaborado nas escavações arqueológicas de Mértola) defende que a Ilha Terceira poderá ser a Ilha do Ovo Cósmico/berço dos primeiros faraós e que, ao ser “Descoberta” pelos Portugueses, seria habitada!
    Pelos vistos a investigadora e a sua equipa, estão à espera da autorização do dono de um terreno para ser feita a prospecção GPR, a fim de tentar encontrar o templo sagrado, com três mil anos e que é descrito no Livro dos Mortos!
    Esperemos que o dono do terreno dê o consentimento!
    A não dar, os trâmites necessários para proceder junto das autoridades, serão morosos!
    A ser feita a prospecção e a confirmar-se esta teoria/convicção, possivelmente trará à Luz do Dia, a confirmação da ligação dos Açores ao Continente perdido, a Atlantida e também a ligação dos 1ºs.faraós ao mesmo Continente e
    a ligação do Conhecimento detido pelos Faraós e o Conhecimento de que a Ordem do Templo era detentora.
    Agradeço a vossa boa atenção para este texto (demasiado longo) que espero esteja perceptível e ficarei muito grata se se dignarem fazer uma análise ao mesmo, corrigindo o que entenderem não corresponder à verdade, e, esclarecendo-me.
    Que a Luz os acompanhe sempre
    Maria Antónia

    Luis Matos responded:
    April 23, 2009 at 5:40 am

    Apenas um par de notas, Maria Antónia:

    O nosso ramo da Ordem não é Italiano. Está perfeitamente enraizado em Portugal e na Tradição Lusa. O actual Mestre geral, sim, é Italiano. A Ordem tem Irmãos em diversos países. O nosso ramo nunca esteve ligado a Sousa Fontes e não tem qualquer querela com qualquer outro ramo. Respeitamos as opções de outros e guardamos para nós quais os que reconhecemos como detentores de uma Transmissão Iniciática válida e quais tratamos com clubes excursionistas.

    A segunda nota é acerca do papel do Templo histórico na nossa história Lusa. Efectivamente já muito está publicado sobre esse assunto e nos últimos anos assistimos a louváveis esforços de alguns pesquisadores nacionais de trazer á luz do dia explicações alternativas à história oficial. Contudo, muito há ainda por revelar. Não é só o Arquivo Secreto do Vaticano que tem tesouros sobre os Templários que podem mudar a nossa percepção da Ordem. Arquivos nacionais mais ou menos organizados e mesmo um longa linha de obras e referências ao Templo têm muitos elementos ainda pouco divulgados porque o mundo editorial se tem limitado a publicar livros que copiam livros 10 anos mais velhos que copiavam livros 10 anos mais velhos que eles. Poucos – talvez à excepção de um notável Manuel Gandra, ou de um já falecido Lima de Freitas – poucos, repito, têm buscado as fontes primeiras e não as opiniões da literatura da moda de beira de estrada.

    É minha opinião que o que falta divulgar empalideceria qualquer Dan Brown…

    Luis de Matos

    Ubiratan Passos Filho said:
    April 6, 2010 at 6:09 pm

    Poderia receber informações sobre como funciona a Ordem dos Templários no Brasil e como é feita a iniciação e passagem dos graus.
    Atenciosamente agradeço

    henrique silva said:
    April 18, 2010 at 1:02 pm

    Boa tarde,

    Onde em Portugal podemos entrar na Ordem?
    Muito obrigado.

    claudio said:
    April 23, 2010 at 7:08 pm

    Boa tarde,quem posso contactar para pertencer á ordem?

    João Agostinho said:
    June 16, 2010 at 9:00 pm

    Exmo. Sr. Luís de Matos
    Boa tarde,

    Onde em Portugal podemos entrar na Ordem?
    Muito obrigado.

    J. Agostinho

    jorge said:
    June 24, 2010 at 11:45 pm

    NÃO TEMAS AS TREVAS
    SE VALENTE E CORRECTO
    PARA QUE DEUS
    TE AME
    DIZ SEMPRE A VERDADE
    MESMO QUE ESSA
    TE LEVE Á MORTE
    DEFENDE
    TODO O INOCENTE
    COMO A PALAVRA
    DO SENHOR TEU DEUS
    POIS NASCEMOS
    PARA ACRESCENTAR VALOR AO MUNDO
    E ESTE É O TEU JURAMENTO
    SOBRE O SANGUE DE CRISTO
    PARA TODO AQUELE
    QUE SERVE A VERDADE
    E AMA A JUSTIÇA
    AMEM

    O SENHOR É A VERDADE O CAMINHO E A VIDA
    SERVE A VERDADE
    E SERVIRAS A DEUS
    AMA A VERDADE
    E AMARAS A DEUS

    Victor Bicho said:
    June 27, 2010 at 8:11 pm

    Boa Tarde!
    Gostaria de saber o que é preciso para pertencer à ordem dos templarios em portugal:
    obrigado

    jorge said:
    June 27, 2010 at 8:17 pm

    existem algumas células
    cada celula tem 12 membros
    12 membros
    como os 12 apostolos
    ou as 12 horas do dia como da noite
    ou como os 12 meses do ano

    jorge_maneiras@live.com.pt

    adiciona-me
    este é o meu mail, podemos trocar ideias

    Manuel Afonso Henriques Godinho said:
    August 17, 2010 at 8:17 pm

    I am a templar, give me feedback please…..

    RUI ÁGUAS said:
    September 1, 2010 at 8:15 pm

    Boa Noite.
    Sempre me interessei pela Ordem dos Templários6.
    Gostaria de saber como aderir à ordem.

    joao bg said:
    September 2, 2010 at 1:52 am

    estou aqui a ler uns dois anos de comentários, entre os extremamente bem informados e os pedichas de cunha para entrar e é a primeira vez, salvo lapso, que vejo alguém falar de livros.

    se eu quiser saber mais, e achar o dan brown equivalente à margarida rebelo pinto, por onde é que devo começar?

    Jorge Pereira said:
    September 4, 2010 at 2:12 pm

    Boa tarde!
    Gostaria de pertencer à Ordem dos Templários, o que tenho que fazer para tornar este sonho realidade.

    António Simões said:
    September 4, 2010 at 2:55 pm

    Caros Senhores
    Pretendo saber como posso ingressar na vossa oredem.
    Agradecia informação e contactos.
    Obrigado

    Luis Matos responded:
    September 5, 2010 at 5:43 pm

    De momento todas as admissões estão fechadas para 2010. Aconselhamos o contacto com o Grupo de Estudos Templários do IHS Hermetic Institute para iniciar estudos que possam conduzir a uma aproximação à Ordem. Ver: http://www.ihshi.com

    Amílcar Soeiro de Brito e Silva said:
    September 5, 2010 at 6:38 pm

    Hello, I live in Portugal and I would like to join to the Templars. What should I do?

    Amílcar Soeiro de Brito e Silva said:
    September 5, 2010 at 7:04 pm

    I am interested in join to the Templars.

    jorge said:
    September 6, 2010 at 1:00 am

    Para se ser servo de DEUS
    tem-se de abdicar de muito
    como diz o nosso senhor mestre
    ” Marcos, 10 … 21.
    Jesus fixou nele o olhar,
    amou-o e disse-lhe: “Uma só
    coisa te falta; vende tudo o que tens,
    dá o dinheiro aos pobres
    e terás um tesouro no Céu;
    depois,
    vem
    e segue-me.» Mc 10, 21…
    ……
    jesus
    foi o primeiro mártir da fé cristã…
    DEUS
    usou o seu proprio filho como selo
    para nos dizer
    que existe
    vida para alem da morte…
    quando dissemos
    que queremos servir a ordem de Cristo
    tem que se ter a certeza
    que a DEUS pertenço

    ser templário
    é ser um defensor da fé cristã…
    é meditar, crêr e ter fé
    na palavra de DEUS
    mesmo quando a tempestade
    é maior do que nós…
    È uma forma de estar e de viver a vida..
    È entrares numa igreja ajoelhares-te
    e de olhos fechados
    dizeres ;
    (SENHOR a minha vida aqui
    eu te a entrego)
    P.S.
    quem quizer trocar ideias adicione.me
    jorge_maneiras@live.com.pt

    Carlos Alberto Dias de Miranda said:
    September 6, 2010 at 11:05 am

    Bom dia,

    ao longo dos tempos os Templários foram sempre minha admiração, e talvez por isso eu tenha começado a fazer trabalhos pela comunidade.

    De qualquer forma eu gostaria de saber qual a forma de conseguir fazer parte da Ordem dos Templários.

    Aguardo as vossas prezadas notícias.

    Carlos Miranda

    jorge said:
    September 6, 2010 at 2:31 pm

    o símbolo da cruz dos templários
    encontras
    nas caravelas portuguesas
    na cruz da selecção portuguesa
    no futebol clube belenenses
    nos aviões e helicópteros do ultra mar
    nos navios da escola sagres etcc….
    a cultura portuguesa~
    e a sua identidade está espalhada por todo o Pais
    Pois em cada aldeia existe uma igreja
    uma igreja que poderia ser
    a igreja de s. João batista
    (ordem de s. João batista)
    a igreja de S: Lázaro
    ( ordem de S. Lázaro)
    igreja de S.teresinha
    (ordem de s. teresinha …
    ETC, ETC…
    (JUNTOS
    REPRESENTAVAM A ORDEM DE CRISTO)
    SER TEMPLARIO
    basta ser-se fiel a DEUS
    devoção , humildade e obediencia
    exemplo que jesus nos DEUS
    joão cap 6 versicilo 38
    38. Pois desci do céu
    não para fazer a minha vontade,
    mas a vontade daquele que me enviou

    ……………………………………………………….
    35. Jesus replicou: Eu sou o pão da vida:
    aquele que vem a mim não terá fome,
    e aquele que crê em mim jamais terá sede.
    36. Mas já vos disse:
    Vós me vedes e não credes…
    37. Todo aquele que o Pai me dá
    virá a mim,
    e o que vem a mim
    não o lançarei fora.
    38. Pois desci do céu
    não para fazer a minha vontade,
    mas a vontade daquele que me enviou.
    39. Ora, esta é a vontade
    daquele que me enviou:
    que eu não deixe perecer
    nenhum daqueles que me deu,
    mas que os ressuscite aqui, no seu último dia.
    40. Esta é a vontade de meu Pai:
    que todo aquele que vê o Filho e nele crê,
    tenha a vida eterna;
    e eu o ressuscitarei no último dia.
    41. Murmuravam então dele os judeus para traga-lo, porque dissera:
    Eu sou o pão que desceu do céu….
    no novo testamento
    encontrarás DEUS
    e nele estará a sua ORDEM…

    jorge said:
    September 6, 2010 at 10:53 pm

    na biblia sagrada
    existe varias regras, avisos, apelos
    existe o esclarecimento necessário…
    Para Agradar a DEUS,
    é um dever ir a igreja,
    estudar a Bíblia com fidelidade.
    porque o nosso DEUS
    não é um DEUS de caos , mentiras e intrigas..
    é um DEUS de ordem e respeito.
    E segundo palavra do mestre.
    (TIAGO 1:5)
    “Se, porém, algum de vós
    necessita de sabedoria,
    peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera;
    e ser-lhe-á concedida”.
    (HEBREUS 10:36-38)
    “Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa.
    Porque, ainda dentro de pouco tempo,
    aquele que vem virá e não tardará;
    todavia, o meu justo viverá pela fé,
    e: Se retroceder, nele
    não se compraz a minha alma”.
    seja feito segundo a sua fé
    e tudo o que faças em nome do Senhor

    mostra-me as tuas obras
    e eu verei o tamanho da tua fé

    (Mateus 22.29)
    “Errais,
    não conhecendo as Escrituras,
    nem o poder de Deus.”

    
(Romanos 8.28;)
    “Sabemos que todas as coisas cooperam
    para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito…

    Salmo 01
    1 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores;
    2 antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite.
    3 Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará.
    4 Não são assim os ímpios, mas são semelhantes à moinha que o vento espalha.
    5 Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos;
    6 Porque o Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios conduz à ruína.

    ….
    Ora, o Deus de paz,
    que pelo sangue da aliança eterna
    tornou a trazer dos mortos
    a nosso Senhor Jesus Cristo,
    grande pastor das ovelhas,
    Vos aperfeiçoe em toda a boa obra,
    para fazerdes a sua vontade,~
    operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus,
    ao qual seja glória para todo o sempre. Amém.Hebreus 13:20,21

    Pinto said:
    September 7, 2010 at 3:55 pm

    olá,
    é chegado o tempo de decifrar a palavra da lingua
    que só gera erro, pela voz ou som do átomo do coração – o ETERNO laço.

    Luis Matos responded:
    September 8, 2010 at 12:30 am

    Neste momento o contacto com a Ordem em Portugal faz-se através do núcleo de estudos do In Hoc Signo Hermetic Institute. Ver: http://ihshi.com/wp/grupos-de-estudos/grupo-de-estudos-templarios

    Luis Matos responded:
    September 8, 2010 at 12:35 am

    http://www.ihshi.com é o caminho mais curto entre dois pontos. E sim, Dan Brown é a Margarida Rebelo Pinto dos Templário! Gostei dessa!

    joao bg said:
    September 8, 2010 at 1:07 am

    obrigado pela resposta. vou começar por aí.

    Carlos Alberto Dias de Miranda said:
    September 24, 2010 at 9:41 am

    Bom dia,

    conforme recomendado tenho estado atento ao grupo de estudos dos templários…mas nada aparece.

    Haverá mais algum caminho para chegar à ordem?

    Obrigado.

    Carlos Miranda

    Luis Matos responded:
    September 25, 2010 at 12:39 pm

    Caro Carlos:

    Note que a sede do IHS só é inaugurada hoje (25 de Setembro), o que marca o regresso das férias. Terá novidades seguramente depressa.

    Álvaro de Sousa Holstein said:
    September 28, 2010 at 10:49 pm

    Caro Luís,

    Quais são para si as organizações Templárias capazes em Portugal.

    jorge said:
    September 29, 2010 at 12:06 am

    As que servem a DEUS, …etc, etc,etc…

    jorge said:
    September 29, 2010 at 6:41 pm

    melhor ainda
    são aquelas
    que servem a vontade de DEUS
    e não
    a sua própria vontade …

    Luis Matos responded:
    October 5, 2010 at 1:37 pm

    Caro Álvaro:

    Não é um assunto que seja de discussão pública, no que nos diz respeito. Não há descendentes dos Templários nem ligação comprovadamente ininterrupta desde Molay aos dias de hoje. Mesmo assim (e talvez por isso), há muitas “ordens” ditas Templárias hoje. Para aferir da validade do seu conteúdo, há que conhecer as suas origens, o seu trabalho, o seu propósito e os frutos da sua acção. Esses parâmetros podem ajudar a aferir a sua capacidade. Se me pergunta quem organiza os melhores jantares, posso-lhe dizer, mas isso pouco importa no que diz respeito ao trabalho Templário. Se me pergunta quem tem mais membros, também lhe posso dizer, mas isso mais uma vez não é parâmetro, se a maioria deles não souber o que é a Ordem hoje e para que serve. E assim por diante. Os parâmetros que referi, a que se juntam num segundo momento a linhagem e transmissão de Cavalaria, bem como a linhagem e transmissão eclesiástica (pois o que distingue os Templários das outras Ordens de Cavalaria é a sua dupla natureza Soldado/Sacerdote, Monge/Guerreiro), são o que podem assegurar a cada observador se uma dada organização dita “Templária” é ou não uma linhagem com conteúdo verdadeiro. Aí já é preciso ter muitas unhas para tocar essa guitarra. Em conversa com cavaleiros das organizações templárias modernas raramente estes mostram ter qualquer tipo de conhecimento a este nível.

    Álvaro de Sousa Holstein said:
    October 6, 2010 at 1:20 pm

    Caro Luís,

    Efectivamente certos assuntos não são para ser discutidos publicamente, contudo será útil “separar trigo do joio”, ou não acha isso importante?

    Concordo em absoluto consigo quando afirma que o que distingue o trabalho Templário é a sua ligação com o Conhecimento e a sua transmissão, como tão bem aqui se define «Um segredo, encerrado para sempre, torna-se esquecimento. Deve ser passado sempre, a quem o saiba manter, como … um segredo.»

    Infelizmente as organizações templárias que conheci, estão preocupadas é com a forma de trajar, comezainas e outras actividades que nada tem com o ser cavaleiro Templário.

    maria melo said:
    October 13, 2010 at 10:28 am

    Pesquisadores ilustres, como René Guenón e Julios Evola, omitiram nas suas obras o passado do Portugal Templário.
    Há na Europa uma conspiração de silêncio.
    Atienza, mesmo aqui ao lado, parece ignorar factos que não pode ignorar.
    O tempo e a história iludem-nos. Por seis séculos, foi preciso guardar o segredo. Mas os ciclos começam, e acabam, sem que deles conheçamos a perfeita exactitude. Cumprem-se agora. Não nos mostra isso, o mundo? Pé ante pé, o Naros levanta a manta e, os segredos… espreitam. Cai a Grécia, cairá Roma, veremos de novo a Luz Citânea.

    Em A ESTALAGEM DO QUINTO CAMINHO, a verdade começa a emergir, é preciso ter agora coragem para a defender.
    O livro está publicado online e pode ser pesquisado no Google.

    António Luís Miranda de Carvalho said:
    October 18, 2010 at 11:08 pm

    Com todo o respeito, toda a minha vida senti que tenho uma missão muito importante para fazer!! Sempre fui a favor da igualdade entre todos, nem que para isso tenha de sacrificar a minha vida, mas tem de ser por uma causa nobre em prol de toda a humanidade! Hoje um amigo meu falou-me nos templários, fiquei bastante curioso e vim à net consultar!! Quero-vos pedir que me iluçidem sobre estes meus pensamentos, e se realmente existe uma entidade a favor da igualdade e da paz quero dar o meu contributo! Sou crente em Deus, sempre fui toda a vida, mas nunca me disseram qual a minha missão!! Escrevo-vos na esperança de me iluçidarem para que morra com algum significado e a saber que fiz algo pela humanidade e não fiquei sentado no sofá a assistir a esta “palhaçada”, que vivemos no presente! Sinto que tenho uma missão para mim, mas não sei qual! Outra, sou bom demais, pelo menos é o que dizem, claro que tenho os meus defeitos… Respeitosamente e com esperança de uma resposta iluçidativa, os melhores cumprimentos a todos que lutam ou faze algo pelo bem e pela igualdade!!!

    jorge said:
    October 18, 2010 at 11:30 pm

    o meu livro preferido chama-se biblia sagrada
    se puderem leiam o novo testamento
    não o velho … pois como dizia saramago
    o DEUS dio velho testamento é pior que hitler…

    jesus o mestre diz;
    “Eu vim não para fazer a minha vontade,
    mas a vontade daquele que me enviou.”
    (Jo 6,38)?

    joão capitulo7 versículo 18
    Quem fala de si mesmo
    busca a sua própria glória;
    mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro,
    e nele não há injustiça.

    jorge_maneiras@live.com.pt

    siroko614 said:
    October 28, 2010 at 1:27 pm

    Sou um fascinado por toda esta cultura e história, causa que me levou a estuadr Latim e estou a pensar em aprender Aramaico… Gostaria de saber o que fazer para pertencer à Ordem…
    O meu contacto é: joseyorkxuxu@hotmail.com

    Um bem haja a todos… “Laos Deo”

    António Luís Miranda de Carvalho said:
    October 29, 2010 at 1:25 am

    Pela procura da igualdade e o bem entre todos nós!! Luís Carvalho

    Celso Alves Ferreira said:
    November 14, 2010 at 9:50 pm

    Gostaria de poder ser útil à Ordem dos Templários, aprender as Palavras Antigas e poder também difundilas.

    Celso Alves Ferreira said:
    November 14, 2010 at 9:52 pm

    O meu email é: celso70@gmail.com

    Pedro da Gama said:
    April 16, 2011 at 2:21 am

    Eu, Pedro Gama vos garanto o seguinte: O meu lema é ajudar os mais fracos, os mais isolados, os mais infelizes, os mais angustiados, os mais pobres de espírito, os, em estado depressivo, os que estão sem rumo, sem orientação, que todos juntos podemos fazer um mundo melhor, não interessa ser rico ou pobre, alto ou baixo, bonito ou feio, temos que encontrar o caminho certo. O meu desejo é, ser um verdadeiro cavaleiro de CRISTO, repito verdadeiro homem de Cristo, sejam da opus dei, rosa cruz o importante é que estejamos todos juntos. Uma longa caminhada começa com o primeiro passo, contactem-me através da minha página do facebook Pedro Gama em Palmela ou pedrocfgama@gmail.com e termino o meu testemunho com o seguinte lema: “INSTAVRARE OMNIA IN CHRISTO” (RENOVAR TODAS AS COISAS EM CRISTO)

    Pedro da Gama said:
    April 16, 2011 at 3:28 am

    Sr.luis de Matos voçê parece-me ser um verdadeiro cavaleiro de CRISTO, porque para se ser tem que se parecer,eu penso que é ambas.Quer ajudar-me na minha jornada.Estou seriamente empenhado na minha jornada,há muitos anos que esta ideia vagueia-me na minha cabeça, sou-lhe sincero parece até que não posso morrer sem primeiro ter que fazer algo de grande em nome de alguém relacionado com cristo.Vou-lhe contar-lhe um episódio engraçado que aconteceu na minha vida há uns anos atrás.resumindo quatro pessoas duas escocêsas e duas portuguesas disseram:você deve ser Hugo de Payens,estivemos a conversar durante horas,as pessoas em questão passaram por mim e depois como não quisessem nada
    voltaram atrás e meteram conversa e para acabar sei que estou a escrever isto muito tarde, um abraço.Se quiser diga-me alguma coisa

    Fernando Pires said:
    May 15, 2011 at 12:49 am

    Quem devo contactar para me iniciar
    nas ordem dos templarios em Portugal.

    Obrigado- Fernando Pires

    Celso Alves Ferreira said:
    May 19, 2011 at 10:24 am

    Bom Dia Luís Matos,
    Há tempos escrevi, partilhando a minha disponibilidade para ingressar na Ordem, entretanto também estabeleci contacto com o Instituto, tendo consciência de que saber aguardar é uma virtude, perguntava-lhe se irei ser recebido/contactado?
    Muito Obrigado,
    Celso Alves Ferreira

    Jorge Santos said:
    September 10, 2011 at 2:08 pm

    Uma dúvida me assalta….sabendo nós todos, ( refiro-me aos que têm interesse no tema), que a ordenação de um cavaleiro ou irmão do Templo, só era possível através da sua ordenação por um Mestre do Templo, como foram ordenados os pressupostos “Cavaleiros” que se arrogam do titulo de “Templários” nestes correntes dias?…ou de outra forma…que Mestre os ordenou?. Sinceros cumprimentos.

    Jorge Santos said:
    September 14, 2011 at 11:02 pm

    “Forma como os irmãos devem ser acolhidos”

    11. Se qualquer cavaleiro secular, ou qualquer outro homem, desejar deixar a massa de perdição e abandonar a vida secular e escolher a vossa vida comum do Templo, não consintais em recebê-lo imediatamente, pois o meu Senhor São Paulo disse: ” Probate spiritus si ex Deo sunt “; “Põe à prova a Alma para ver se vem de Deus”. Melhor será se a companhia dos seus irmãos lhe deve ser concedida, que deixeis que a Regra lhe seja lida, e se for seu desejo ponderadamente obedecer aos mandamentos da Regra, «e se for do agrado do Mestre e dos irmãos recebê-lo», deixai que ele revele o seu empenho e desejo perante todos os irmãos «reunidos em Capítulo» e deixai que formule a sua petição com coração puro.

    Regra nº 11 das Regras dos Cavaleiros Templários

    Cordialmente Jorge Santos

    Jorge Santos said:
    September 14, 2011 at 11:29 pm

    A defesa da Fé em Cristo nos dias de hoje não necessita de “Títulos” ela é feita todos os dias com compaixão e amor, usando como “Hábito” a pureza de coração e como “Título” o amor ao próximo…tudo o mais é supérfluo….ostentação….e vaidade, e não estão de acordo com a Fé….de que certos ” Cavaleiros” se arrogam de pretender defender. A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo foi fundada para prestar auxílio e protecção aos peregrinos que se dirigiam à Terra Santa, num período histórico em que tal se revelou necessário e o seu “Hábito” ( Túnica e Manto) era usado como identificativo da sua faceta Militar assim como os seus estandartes e flâmulas.

    A vaidade ainda continua a ser um pecado.

    Cordialmente Jorge Santos .

    Jorge Santos said:
    September 15, 2011 at 12:38 am

    Perante a Magnificência de Deus todos os títulos são vãos…toda a vaidade é ineficiente…toda a riqueza é pó….quietai-vos simples mortais…e sossegai vossos ímpetos de grandeza e vã glória…pois que eles nada valem perante tanta Imponência. Nestes nossos decorrentes tempos, Cristo não necessita de “Cavaleiros”….mas de obreiros da Paz.

    Cordialmente Jorge Santos
    ( Com um abraço para o Jorge Maneiras)

    Hilda Muniz Lopes said:
    November 13, 2011 at 4:10 am

    Quem já ouviu falar na Ordem dos Cavaleiros da Ordem de São Pitolomeu? Por favor me ajudem quero saber a este respeito.

    João Dehon said:
    November 28, 2011 at 5:49 am

    Sr. José Colaço, parabéns pelo belo artigo. Sou Brasileiro, aficcionado por história medieval e fã dos Templários. Tenho a honra de ter em minha família ancestrais (Andrades), que contribuiram para esta Magnífica Ordem. Parabenizo-o e peço-lhe se possível o envio de mais artigos e informações sobre os Templários. Grato.

    José Novaes said:
    February 9, 2012 at 3:34 pm

    Boa tarde Luis Matos.
    Sou brasileiro, descendente de portugueses e apaixonado por história, principalmente o período que envolve a Idade Média e em especial pela Ordem do Templo, mas também me interesso por outros temas como a vida de Jesus Cristo, Catarismo, Santo Graal, e Maçonaria Operativa sobre os quais já li diversas obras.
    Vale dizer que meu interesse vem de muito tempo, bem antes que Dan Brown vulgarizasse esses temas.
    Já vi em posts anteriores como contactar a Ordem em Portugal, mas existe algum canal para esse contato no Brasil? Existem capítulos aqui?
    Cordialmente,
    José Novaes

    Helena Arnold said:
    April 19, 2012 at 12:36 pm

    Curiosa intervenção, de Maria do Monte, datada de Novembro, através da saudação deixada e que encerra umas das verdades

    Jonecir Tavares said:
    July 27, 2012 at 1:04 pm

    …se tiveres fé como um grão de mostarda , olharas aquele monte e dirás ! Monte mudes de lugar e ele mudara…á fé é o firme fundamento do que não se vê mais se acredita. Fé com resquício de dúvida é uma fé morta ..fé é o desejo ardente do coração rumo ao que desejas ser ou ter…sobre á terra existe tantos mistérios que seria loucuras para muitos homens conhece-lo o enigma do mestre arquiteto universal (DEUS)..Meu mestre é o mestre dos mestres..mongeguerreiro é um (DOM) perceptivo e sensorial que nem todos podem alcança-los..vive pela fé e no entanto é imagem e semelhança de DEUS como todos somos , mais se conhece-los á si mesmo e se encontrares dentro de sí , então conhecereis á verdade e ela vós libertaras da cegueira , espiritualidade..sou homem e como homem recebi minha missão , sou pedra bruta comum , mais por dentro brilha cristal..sou o que sou simplesmente autentico..o ser…nada mais…

    António José Pinheiro Prata said:
    July 30, 2012 at 6:16 pm

    Boa tarde.
    Como tantos outros, também nutro uma afeição especial pelo projecto, história e cultura relacionadas com esta temática. Gostaria de saber se ha continuidade ou se se limita apenas a mais um blog. Se houver uma estrutura e actividades, gostaria muito de ser informado.
    O meu mail é: antonioprata@es-odivelas.pt
    Grato pela atenção
    Antonio Prata

    Fernando said:
    September 1, 2012 at 12:01 am

    Boa noite,
    Gostaria de ter a vossa colaboração sobre o seguinte símbolo: Num assento de casamento, e noutro de baptizado, em cima da assinatura do padrinho no primeiro caso e junto ao nome do baptizado no outro, aparece um circulo cortado por uma cruz, ou dividido em quatro, e dentro de cada uma das 4 partes um circulo pequeno, ou seja, quatro círculos cada um no seu 1/4…
    Alguém me sabe dizer o que significa esta simbologia?

    José said:
    September 2, 2012 at 8:33 pm

    Parece a descrição da medalha de São Bento. http://www.starnews2001.com.br/benedictus.html

    marcio said:
    September 11, 2012 at 2:45 pm

    Ola bom dia sou um filho de um ex-combatente de guerra de portugal que faleceu no ano de 2007 e estou aqui com muita luz paz humildade força coragem em busca de esclarecimentos ja que sofri um acidente muito sério e sou ligado a luz de uma forma inexplicavel e vendo sofrendo ataques espirituais aqui pelo pais onde resido,até ser nomeado por um anjo de luz linda o Embaixador da paz nesse templo abençoado por JESUS localizado no cemitério Vila Formósa aqui no brasil aguardo um próximo encontro seja de qual forma for um grande abraços

    Luis Gazeta said:
    November 16, 2012 at 4:59 am

    Títulos são herdados mas muitos não se utilizam de suas honrarias ; como Dom Márcio Luís da Gama Cavalheiro, que decende de Vasco da Gama, Vasco Luís da Gama, possuidores do paço dos Gamas e dos direitos concedidos pela nobreza, este sucessor dos Gamas tem em suas raizes; Luis da Gama, Nabor da Gama Filho, Manoel da Gama D’Almada, Manuel da Gama, Nabor da Gama Jr.
    D.Marcio Luis da Gama Cavalheiro é o Senhorio de terras no estado do Pará e possui projetos como seu antecessor Manuel da Gama Lobo D’Almada e espírito e ideais desbravadores na Amazônia, possui outros antecessores que contribuiram nos movimentos abolicionistas e de direitos humanos, o renomado Médico militar Paraense Manoel da Gama Lobo, o primeiro oftalmologista do Brasil;
    Manuel Jacinto Nogueira da Gama,[1] primeiro visconde com grandeza e marquês de Baependi[2] (São João del-Rei, 8 de setembro de 1765 – Rio de Janeiro, 15 de fevereiro de 1847), foi um militar, político e professor brasileiro, doutorado em matemática e filosofia pela Universidade de Coimbra; Luís Gama: ex-escravo, autodidata, advogado, poeta, maçom, republicano e abolicionista radical; E tantos outros “GAMA” que fizeram a história imperial em Brasil e Portugal, com títulos da coroa portuguesa, deixaram a comodidade para desbravar o mundo como outro Gama da mesma linhagem “Vasco da Gama” Terceiro filho de dom Estêvão da Gama e Isabel Sodré, que pertenciam à nobreza de Portugal, Vasco da Gama foi inicialmente destinado à vida eclesiástica, mas preferiu trocá-la pela carreira militar e pela navegação.

    Na verdade, pouco se sabe sobre a vida de Vasco da Gama antes de ser nomeado capitão-mor da frota que descobriria o caminho marítimo para as Índias. Aliás, a nomeação cabia a seu irmão mais velho, Paulo, que cedeu-lhe o lugar, contentando-se em comandar uma das embarcações da esquadra.

    Vasco da Gama deixou Lisboa em 8 de julho de 1497, dobrou o Cabo da Boa Esperança em 18 de novembro, mas só atingiu a Índia em maio do ano seguinte, quando aportou em Calicute, enfrentando hostilidade do governante local. A viagem de volta teve início em 5 de outubro. Dos 155 homens que partiram, só 55 chegaram a Lisboa. Entre os mortos, estava Paulo da Gama, o irmão de Vasco.

    Recebido em triunfo pelo rei, Vasco da Gama recebeu o título de dom, de “Almirante dos Mares da Arábia, Pérsia, Índia e de todo o Oriente” e uma pensão de 300 mil réis anuais para ele e seus descendentes. Em 1502, obteve o comando de sua segunda viagem à Índia. Dessa vez, tinha o dever de estabelecer feitorias e entrepostos comerciais na África e na Índia e revidar os maus tratos sofridos pela esquadra de Cabral, que lá chegara em fins de maio de 1500, e perdera 40 marinheiros em combate com o rei de Calicute. D.Marcio Luís da Gama Cavalheiro, vem com a mesma filosofia de sua linhagem, de fidalgo e cidadão brasileiro vai coroar a Amazônia com a sua presença.

    Luis Gazeta.

    Salvador Benevides said:
    March 25, 2013 at 5:54 pm

    Olá, escrevo do Brasil e pertenço a familia Correa de Sá e Benevides, porventura a ordem possuiu algum de nós como membro nos tempos coloniais? Obrigado.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s