Exultate justi in domino – Armações na Boa Terra do Alentejo

Posted on Updated on

Em preparação para as vésperas de Santiago e a comemoração da Batalha de Ourique, o Grão Priorado de Portugal da OSMTHU reuniu em Capítulo Geral na boa terra do Alentejo, para receber novos irmão e irmãs, receber o compromisso de serviço de Escudeiros e armar Cavaleiros que demandam a Ordem.

As restrições em curso impediram muitos dos que desejavam juntar-se aos trabalhos de o fazer, contudo registou-se um número muito significativo de presenças, assegurando dois dias de trabalho muito proveitosos e plenamente preenchidos pela paz, a serenidade e a concórdia. Até ao final do ano, esperando melhoras nas condições sanitárias, a Ordem proporcionará a oportunidade de que os que se viram obrigados à ausência, possam retomar o seu caminho sem delongas. A sua ausência foi sentida.

Tal como em anos anteriores não queremos expor ao público cerimónias que são reservadas e contêm procedimentos rituais e momentos de estudo e exposição enraizados na mais rica Tradição de Cavalaria Espiritual, em muitos casos perdidas na neblina da memória colectiva e ausentes nos movimentos de inspiração templária dos dias de hoje.

Após uma manhã de recordação dos preceitos da Cavalaria segundo fontes do século 13, em sessão de estudo dirigida pelo Preceptor do Grão Priorado, João Pedro Silva, KOTJ, seguiu-se um almoço de convívio que permitiu colocar em dia conversas há muito esperadas, uma vez que não nos encontrávamos desde as Jornadas Ecuménicas de Lagos de Fevereiro 2020. Desde então um intenso trabalho de estudo online tem sido desenvolvido em paralelo com algumas iniciativas já fixas no nosso Calendário anual, como foi o caso da Conferência sobre Templários e Templarismo em Outubro de 2020 e das Jornadas Ecuménicas de 2021, ambas em ambiente virtual.

A tarde iniciou-se com a abertura ritual do Capítulo Nacional, durante o qual se receberam postulantes no grau de Noviço e se procedeu à passagem a Escudeiro de um grupo numeroso de Noviços que tinham já a sua instrução completa. Alguns dos Cavaleiros presentes contribuíram para consolidar os conhecimentos adquiridos, fomentando a reflexão necessária ao progresso no entendimento da Cavalaria. Uma meditação sobre o Caminho de Emaús e seu significado foi especialmente oportuna, tendo-se completado a tarde com a leitura de textos tradicionais, incluindo um conto de Cavalaria de tradição oral e fixado no século 12 na Gasconha, o qual deixa sempre uma marca especial na memória dos Escudeiros.

Os trabalhos de preparação da vigília nocturna, indispensável à armação, iniciaram-se ao final da tarde de Sábado, com a saída do Convento em cortejo pelos campos do Alentejo até uma fonte onde se fizeram as lavagens tradicionais e se preparou o espírito para a longa jornada que ainda estava pela frente antes da cerimónia a ter lugar apenas no Domingo.

O Comendador de Arraiolos, Rui Herdadinha, KCTJ, foi o amável anfitrião de um lanche de convívio que precedeu a subida ao Castelo, momento de recolha interior e silencio que marca o final do dia claro Alentejano, com o desaparecimento do sol, e abre o período nocturno em que, nas trevas e na incerteza da noite escura, se procede à vigília completa, sem abreviação ou subterfúgio, em esperança pela aurora que se deseja.

Pouco mais se pode acrescentar do que se seguiu. O cortejo desceu do Castelo ao Capítulo, que retomou os seus trabalhos e procedeu à aclaração de muitos pontos sobre a Cavalaria e os Templários reservados aos diligentes. Pela manhã prodecedeu-se às armações seguindo o Ritual tradicional, estando a Ordem mais rica com 4 novos Cavaleiros e 1 Dama. São os Irmãos Paulo Fernandes, KTJ; Virgílio Gomes, KTJ; Bruno Correia, KTJ; Miguel Pereira, KTJ; e a Dama Joana Frade, DTJ. A eles damos os parabéns e desejamos que a Cavalaria, como árvore de tronco firme, possa neles reverdecer e dar fruto.

Foi ainda criada a 6ª Comenda do Grão Priorado de Portugal, a nova Comenda de Lisboa – Santa Catarina, sendo investido o Irmão Comendador João Pedro Silva, KCTJ que prestou o seu juramento na forma tradicional e iniciará trabalhos de imediato.

Os trabalhos de Domingo encerraram de forma tradicional com a celebração da Eucaristia pelo Grão Prior e Bispo Tau Flammula Veritatis.

O Grão Priorado está profundamente agradecido a todos os Irmãos e Irmãs que trabalharam incansavelmente para que o Capítulo fosse um êxito e decorresse dentro das restritivas normas sanitárias em vigor. Especial menção deve ser feita à Irmã Susana Ferreira, DTJ; ao Irmão Fernando Silva, KTJ que desempenhou irrepreensivelmente o cargo de Mestre de Cerimónias; ao Irmão Filipe Simões, KTJ e aos Comendadores presentes Rui Herdadinha, KCTJ; Paulo Valente, KCTJ e Victor Varela Martins, KCTJ bem como a todos os que participaram e contribuíram para mais um capítulo inesquecível da história do nosso Grão Priorado. A todos obrigado.