Gentes de Cuba desvendam enigma

Posted on Updated on

colon.jpg 

Na vila alentejana de Cuba todos acreditam na teoria de que o navegador Salvador Fernandes Zarco, mais conhecido por Cristóvão Colombo ou Colon, nasceu na terra do distrito de Beja.

“Todas as investigações apontam para Cuba. O filme ‘Cristóvão Colombo – O Enigma’ é mais um documento sobre as verdadeiras origens do navegador e que vem dar força a esta tese que tanto queremos ver desvendada”, referiu o presidente do Núcleo de Amigos de Cuba, Carlos Calado, no final da antestreia da longa-metragem do mais velho realizador do Mundo em actividade, Manoel de Oliveira, cuja estreia nacional está agendada para a próxima quinta-feira.

Sábado à noite, o auditório do Centro Cultural da vila estava esgotado. Todos aguardavam a chegada do actor Ricardo Trêpa e do produtor François d’Artemare. Todavia, um imprevisto impediu-os de comparecer a esta segunda antestreia. A primeira, recorde-se, decorreu a 12 de Dezembro na Fundação Gulbenkian, em Lisboa, dia a seguir ao cineasta ter completado 99 anos.

“Gostei do filme e de ver imagens da vila de Cuba. Também acredito que Cristóvão Colombo nasceu aqui. Este filme deixa muitas pessoas a pensar”, referiu Maria Teresa Vargas. Já na opinião de outro dos convidados, José Barroso, “o enigma mantém-se, mas o filme desperta a curiosidade das pessoas. Agora também têm de vir a Cuba para ver o Cristóvão Colombo”.

Devido à enorme expectativa gerada pela projecção do filme junto da população, a autarquia programou para ontem uma nova sessão. Para os munícipes foram disponibilizados 230 bilhetes gratuitos, a lotação máxima do auditório.

Rodada em Cuba, Porto Santo e nos Estados Unidos, a película baseia-se no livro ‘Cristóvão Colon (Colombo) era Português’, publicado em 2006 pelo médico e historiador luso-americano Manuel Luciano da Silva e pela mulher, Sílvia Jorge da Silva. Na longa-metragem contracenam, pela primeira vez no grande ecrã, Manoel de Oliveira e a mulher, Isabel, que se juntam a Ricardo Trêpa e Leonor Baldaque.

“TESTE ADN DESFAZIA AS DÚVIDAS”

O presidente da Câmara Municipal de Cuba, Francisco Orelha, tem apoiado a divulgação dos factos históricos que comprovam a nacionalidade portuguesa do descobridor da América. “Temos remado contra a maré, sem apoios, porque acreditamos que Cristóvão Colon é português, de Cuba. É estranho que um genovês deixasse nas Caraíbas 40 topónimos com referências ao Alentejo como Mourão, Guadiana ou a ilha de Cuba. Só os testes de ADN podem desfazer as dúvidas sobre a origem”, referiu o autarca enquanto mostrava o livro ‘Cristóvão Colon (Colombo) era Português’.

Carlos Calado, outro dos apoiantes da teoria, considera que o enigma poderá ser um dia desvendado. “O investigador espanhol José António Lorente comparou o ADN das ossadas do navegador com outros 467 indivíduos com apelidos Colon, Colombo e Coulon, mas todos deram resultados negativos. Aguardamos os resultados das comparações com o ADN dos descendentes portugueses”, referiu. Entretanto, em Maio, a vila vai acolher um ciclo de conferências para debater as origens do navegador.

A organização do Núcleo de Amigos de Cuba contará com a presença de vários especialistas, entre os quais Manuel Luciano da Silva.

Por Alexandre M. Silva, Correio da Manhã

3 thoughts on “Gentes de Cuba desvendam enigma

    Karlos Kellog said:
    March 26, 2009 at 7:45 pm

    É de todo conveniente conhecer o nome Zarco em hebraico, tal como pretende o médico Luciano da Silva.
    Salvador Fernandes Zarco terá sido judeu converso.

    luisa serpa said:
    September 13, 2009 at 7:11 pm

    i will be visiting cuba, in november, y qould like to recive information of where to go un cuba to read and search about cristovao colon. i truly believe he was of por tuguese origen and of a sephardic religion.

    thank you f,

    suisa serpa

    João Tabuada said:
    December 15, 2011 at 10:57 pm

    Não seria mais inteligente, comparar os testes de ADN, com os ascendentes portugueses.
    Claro que aos espanhóis convém deitar por terra a teoria de que era português, em especial esses investigadores, que para estarem na ribalta e ganharem pipa de massa, fazem os testes com menor probabilidade de darem positivos, ou seja aos presumiveis descendentes, estranho não acham ?
    Se calhar, é associada mais alguma clínica ou instituto espanhol, que por ventura, fique situado perto de Cuba do Alentejo.
    Enfim, terminando por aqui, o meu ponto de vista desta história, que mais parece para rir do que para chorar…

Comments are closed.